Por: A Tribuna
18/03/2021
10:03

O setor cultural e artístico de Amparo se revoltou com a aprovação do Projeto de Lei nº 22, de autoria do prefeito municipal Carlos Alberto Martins (MDB), que transferiu o valor de R$ 38 mil da Secretaria Municipal de Governo para a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo para a criação de uma galeria de fotos e pinturas de todos os ex-prefeitos da cidade, e criou, dois dias depois, uma manifestação pelas redes sociais para expressar seu descontentamento.

A manifestação se espalhou pelas redes sociais, com diversos artistas e apoiadores do segmento no município, divulgando fotos contendo a hashtag #A Cultura de Amparo Pede SOCORRO.

A página do Coletivo Cultura, um grupo formado por mais de 70 artistas e produtores culturais da cidade, publicou a manifestação, com um texto que mostrava a reprovação. “A classe artística e cultural está há um ano sem poder trabalhar devido as restrições causadas pela pandemia da Covid-19, buscando novas formas de se reinventar e sobreviver, recebendo sempre o discurso do governo municipal de que não há verba para socorrer o setor e os trabalhadores. E, em meio ao caos, os vereadores aprovam o Projeto de Lei nº 22, enviado pelo Prefeito, investindo R$38 mil reais na criação de uma galeria de ex-prefeitos. Verba que poderia ser usada para criar condições de trabalho e renda para mais de 60 pessoas. Não podemos aceitar calados. A Cultura de Amparo pede SOCORRO!”, dizia a publicação.

Cobrança por ações de suporte para o setor

Tanto o Coletivo Cultura, quanto o Conselho Municipal de Cultura (Comcult) tem conversado constantemente com o Poder Público municipal no intuito de organizar ações de fomento ao segmento, que foi um dos mais atingidos pela pandemia, visto que os artistas estão impossibilitados de trabalhar desde o início da pandemia. Além do edital feito a partir dos recursos disponibilizados pela Lei Aldir Blanc, o Comcult abriu um edital municipal no final de 2020, utilizando recursos do Fundo Municipal de Apoio e Incentivo a Cultura (Faic), e está finalizando um segundo edital para ser lançado nas próximas semanas.

Os recursos do Comcult estão se esgotando e os artistas seguem cobrando ações diretas de fomento do Poder Público municipal, que sempre alegou não ter recursos. “Tivemos reuniões diretamente com o secretário e com o prefeito, no gabinete, e sempre pedimos por fomento cultural, para poder dar trabalho para este mercado que está parado, e sempre nos foi negado. E, de repente, temos essa questão aparecendo”, relatou Diego Mozer, que é integrante do Coletivo Cultura e presidente do Conselho Municipal de Cultura de Amparo.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura
situs togel slot agen toto 4d togel macau slot mahjong wayz srbnews.id bandar togel online slot demo habanero situs slot pg soft wahtogel wahtogel unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto situs togel online situs togel online togel macau togel slot oryornoi naturalmarkeet mgjakartaselatan jaigurudevashrammathura bo togel agen toto electrokwt