Por: A Tribuna
17/11/2021
11:11

Cuidado não tem gênero, idade, vergonha ou restrição. Contudo, dados do Ministério da Saúde apontam para uma preocupante cultura: 30% dos homens não têm o hábito de ir ao médico e mais da metade deles só procura ajuda quando os problemas de saúde já estão mais avançados. Neste mês de novembro, entidades se mobilizam para mudar as estatísticas e alertar sobre a importância do autocuidado do homem, em especial quando relacionado ao câncer de próstata.  

A falta de atenção com a própria saúde se reflete em muitos aspectos da vida do homem. Vivem em média pelos menos 7 a menos que as mulheres, têm maior índice de mortalidade em todas as faixas etárias, não se alimentam adequadamente, utilizam álcool e outras drogas com maior frequência e não seguem os tratamentos recomendados.  

Mudança de cultura

A diferença entre homens e mulheres com o autocuidado começa ainda criança e vai se acentuando com o passar dos anos. Enquanto as meninas costumam passar por consultas anuais a partir da puberdade, a maioria dos meninos fica sem orientação médica. Como consequência, eles têm menor consciência sobre o próprio corpo e sobre a prevenção de doenças, como as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A consequência é preocupante. 

Dados da Sociedade Brasileira de Urologia apontam que cerca de 38,5% dos adolescentes não sabem colocar o preservativo e a vacinação contra o HPV, doença viral que pode causar desde verrugas até câncer, é bem menor entre eles, 35,6% apenas, quando para as meninas o número chega a 65,8%. 

Câncer de próstata

No país, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, abaixo apenas do câncer de pele não-melanoma, representando quase 30% dos tumores incidentes no sexo masculino. Por ser uma doença silenciosa, a visita regular ao urologista é o melhor caminho de prevenção, em especial quando existir histórico familiar. Estatísticas mostram que um a cada sete homens desenvolve a enfermidade. 

A grande parte dos pacientes não apesenta sintomas ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata, como dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite. Os sintomas mais críticos aparecem só nas fases mais avançadas, como dor óssea, sintomas urinários como sangue na urina ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal. 

“Por ser uma doença silenciosa, o câncer de próstata em seu início não traz sintomas aparentes. Por isso que a prevenção é fundamental em especial aos homens com mais de 45 anos, que tenham histórico familiar ou com comorbidades, como obesidade. A consulta periódica ao médico propicia o diagnóstico precoce, o que aumenta a chance de curas de 90% a 95% dos casos. Já o diagnóstico tardio leva à óbito 20% dos homens com a doença. Buscar ajuda, eliminar o preconceito e arrumar tempo para a própria saúde são essenciais”, explica o médico urologista cooperado da Unimed Amparo, Renato Baldo Batista Gonçalves. 

 

Confira dicas para melhorar a saúde e prevenir doenças: 

- Procurar os serviços de saúde não apenas quando estiver com uma doença, mas para se prevenir; 

- Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas; 

- Ter uma alimentação adequada e saudável; 

- Praticar exercícios físicos regularmente; 

- Conversar sobre os problemas de saúde com familiares, amigos e profissionais da saúde; 

- Pedir ajuda quando se sentir sobrecarregado por alguma situação de estresse; 

- Manter a carteira de vacinação atualizada; 

- Utilizar preservativo nas relações sexuais; 

- Evitar o cigarro; 

- Realizar consultas de rotina; 

- Cultivar bons hábitos de higiene. 


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura