Por: A Tribuna/Mkt
08/05/2023
14:05

A iniciativa do Instituto Brasil Solidário já representa participação de 3,10% dos alunos de toda a rede pública de São Paulo, incluindo o município de Amparo, com apoio de empresas, instituições financeiras e pessoas físicas para a expansão das atividades

Alunos do Ensino Fundamental até o Ensino Médio, do interior aos grandes centros e capitais do Brasil, como São Paulo, despontam com projetos inovadores de empreendedorismo e conscientização financeira a partir de ideias que nascem na sala de aula. Essa é uma realidade presente em escolas públicas de todo o Brasil a partir do projeto com jogos de Educação Financeira, do Instituto Brasil Solidário (IBS), que este ano, alcança a marca de mais de 1 milhão de alunos beneficiários em escolas de todo o país.

O projeto, que teve seus primeiros passos em 2017, hoje alcança ações do Oiapoque (AP) ao Chuí (RS), difundido em 292 municípios nos 26 estados do país, que representam 3,5% do total de alunos da rede pública nacional (Ensino Fundamental e Médio). Envolvendo desde a formação gratuita para os educadores até a doação do material com os jogos Piquenique e Bons Negócios, a proposta segue expandindo e se consolidando como uma poderosa ferramenta pedagógica nas mãos de professores e gestores públicos da área da educação. 

Com o apoio da Aliança pela Educação Financeira – formada por empresas parceiras como Bank of America, Citi Foundation, Instituto XP, Bayer, B3 Social, Ypê, Seacrest Petróleo – o projeto (que chega gratuitamente às cidades) ganhou tamanha capilaridade que ultrapassou as fronteiras do País, alcançando escolas do Chile, Colômbia e Uruguai. 

“Falar de Educação Financeira é tratar também sobre a economia sustentável, a importância das energias renováveis, do cuidado com o meio ambiente. Então, estamos falando de um tema transversal que precisa ser reforçado dentro das escolas. Esse conhecimento tem mudado o comportamento dos alunos e as realidades de suas famílias”, afirma o presidente do IBS, Luis Salvatore. 

Em São Paulo, a iniciativa conta com adesão em 12 municípios, incluindo escolas em Amparo, com educadores já atuando como mediadores e apontando soluções e conceitos práticos da educação financeira para a melhoria de suas comunidades. Neste município, foram beneficiados 2.262 alunos de 11 escolas da rede municipal atendidas pelo programa, e 195 educadores capacitados. 

O Educação Financeira também aconteceu no SEPI (Serviço Espírita de Proteção à Infância), um dos projetos que recebe o apoio da Ypê no município desde a sua fundação, há 47 anos, beneficiando 415 alunos com 4 educadores capacitados. 

A proposta já faz parte do currículo escolar de Amparo (SP), com participação de toda a rede de educadores do município. Na região, as escolas têm trabalhado com projetos sustentáveis como o “Troca do Bem”, em que os alunos trocam embalagens plásticas por uma moeda própria da escola, que serve como recurso para a “lojinha” repleta de materiais escolares até ações integradas com os familiares dos alunos, jogando e aprendendo com seus filhos de forma leve e dinâmica sobre os conceitos de educação financeira.

“Eu sou fã do projeto de Educação Financeira. Consegui mudar a minha vida e guardar dinheiro com ele, porque realmente é uma ideia maravilhosa. O nosso projeto Troca do Bem tem tudo a ver com o jogo Piquenique que as crianças usam em sala de aula. A ideia é que elas economizem dinheiro e aprendam a lidar com ele”, diz Regina Herrero, coordenadora da escola Raul de Oliveira Fagundes, uma das participantes no município de Amparo.

A Gerente Executiva de Relações Institucionais e Governamentais da Ypê, Roberta Kuruzu, explica que “Ao apoiar esse projeto do IBS e fazer parte da Aliança pela Educação Financeira, nós da Ypê buscamos trazê-lo para os munícipios onde estamos inseridos com as nossas unidades fabris, como em Amparo, município que está localizada a nossa matriz. Acreditamos que iniciar esse conceito de educação financeira na vida das crianças, de forma educativa e lúdica, fará toda a diferença no dia a dia delas e de seus familiares”.
 
O material foi desenvolvido alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), incluindo temas como alimentação saudável, conta de luz, mobilidade urbana, reciclagem, energias renováveis, nas cartinhas do jogo, ou seja, assuntos que fazem parte do cotidiano dos alunos e que estão presentes em sua rotina.

INSCRIÇÕES ABERTAS
Em 2023, o projeto segue para uma nova etapa de expansão, já abrindo para o cadastro de adesão de novos municípios. As cidades interessadas podem entrar em contato por meio do Instagram oficial do projeto @vamosjogareaprender ou pelos canais do Instituto Brasil Solidário @brasilsolidario, onde há o link para o formulário de inscrição (https://forms.office.com/r/74Y7MziKPN). O projeto possui um portal na internet reunindo tudo sobre os jogos, além de vídeos, tutoriais, dicas sobre finanças e planos de aula: www.vamosjogareaprender.com.br (GBR Comunicação)


 


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura
situs togel slot agen toto 4d togel macau slot mahjong wayz srbnews.id bandar togel online slot demo habanero situs slot pg soft wahtogel wahtogel unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto situs togel online situs togel online togel macau togel slot