Por: A Tribuna/Unicamp
29/11/2023
09:11

O Conselho Universitário (Consu) da Unicamp aprovou, na manhã desta terça-feira (28), a concessão do título de Professor Emérito aos docentes Anibal Eugênio Vercesi, da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), Jorge Sidney Coli Júnior, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), e Marco Antônio Teixeira, do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (Imecc). Os títulos foram concedidos por unanimidade do Conselho.

Nascido em Amparo, em 1947, professor titular do IFCH, a trajetória Jorge Coli foi marcada por sua atuação dentro e fora do ambiente acadêmico. Foi colunista da Folha de S. Paulo e do Le Monde e atuou com o secretário de Cultura na Prefeitura de Campinas, sob a gestão do prefeito Antônio Costa Santos.

Coli iniciou sua formação universitária em Filosofia, na Universidade de São Paulo. Interrompeu seus estudos nos tempos conturbados da ditadura militar e foi para a França, onde iniciou sua formação em História da Arte e em História do Cinema na Université de Provence, campus de Aix. Obteve o mestrado em História da Arquitetura e passou a ensinar na universidade. Em seguida, ensinou nas universidades de Toulouse Le Mirail e Paul Valéry, de Montpellier. Obteve seu doutorado em Estética, no Departamento de Filosofia da USP, sob a orientação da professora Maria Sylvia Carvalho Franco, e seu pós-doutorado na New York University. Sua tese de doutorado foi publicada pela Editora da Unicamp. Essa formação lhe permitiu lançar estudos pioneiros sobre a História da Arte e da Cultura brasileira e internacional, explorando sobretudo a produção do século XIX e da primeira metade do século XX.

Formou um número elevado de pesquisadores e professores, que hoje desenvolvem pesquisa e docência em universidades por todo o Brasil, desempenhando papel de destaque na vida universitária, institucional e intelectual brasileira, atuando na direção de museus e de outras instituições. A preocupação de Coli com o patrimônio brasileiro no campo das artes estimulou numerosas pesquisas voltadas para estudos específicos de obras, nacionais e internacionais, depositadas em acervos de museus brasileiros.

Presidente da comissão que recomendou a honraria, o professor Antonio Augusto Arantes Neto disse que Coli foi indicado porque preenche todos os requisitos previstos para a concessão de um título como este. “Lembramos sua qualidade intelectual; a abrangência de sua contribuição para a área no Brasil e a efetividade dessa contribuição”, disse.

Arantes Neto avalia que grande parte da contribuição de Coli se deu na formação de um público qualificado para a compreensão da arte brasileira, em especial a do século 19, para além da já mencionada formação de pesquisadores e intelectuais. “Sua atuação contribuiu para um divisor de águas na História da Arte como disciplina acadêmica na universidade brasileira, num pioneirismo importante”, escreveu o professor Marcos Tognon, do Departamento de História do IFCH-Unicamp, que assina o parecer com o pedido de entrega do título.

O parecer aponta que o professor Jorge Coli colaborou com pioneirismo na criação dos estudos em História da Arte em nosso contexto, já que as universidades brasileiras não possuíam programas institucionais que contemplassem todo o campo dessa área. “Mais ainda, o professor Jorge Coli considerou que era preciso dar a esses estudos sua plenitude no campo metodológico e epistemológico”, finaliza Tognon.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura
situs togel slot agen toto 4d togel macau slot mahjong wayz srbnews.id bandar togel online slot demo habanero situs slot pg soft wahtogel wahtogel unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto situs togel online situs togel online togel macau togel slot oryornoi naturalmarkeet mgjakartaselatan