Por: Jornal A Tribuna
09/02/2023
10:02

Na tarde desta terça-feira, 7 de fevereiro, foilançado em Serra Negra o Projeto Florescer, uma iniciativa do Fundo Social de Solidariedade, em parceria com as secretariais municipais de Assistência Social e Agricultura, que contempla dez mulheres referenciadas pela rede socioassistencial do município, no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), com aulas de paisagismo e jardinagem e posteriormente execução desses serviços nas praças municipais.

A cerimônia de lançamento ocorreu no Paço Municipal, com a presença do Prefeito Elmir Chedid, da Primeira-Dama e Presidente do Fundo Social de Solidariedade Deborah Chedid, do Juiz de Direito Carlos Eduardo Silos de Araújo, do Promotor Leonardo Carvalho Bortolaço, do Delegado da Polícia Civil Rodrigo Cantadori, dos vereadores Wagner Del Buono (Presidente da Câmara Municipal), Renato Giachetto e Rosimar Gonçalves, secretárias municipais Daniele Pachioni, de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Del Buono, de Agricultura, entre outros secretários, do Chefe de Gabinete Rodrigo Demattê e servidores municipais em geral.

Nos discursos, as autoridades destacaram a importância do projeto para a mudança nas vidas dessas mulheres. “Toda sensibilidade foi colocada neste projeto. São mães, pessoas que têm que manter seu lar. Espero que vocês logo saiam do projeto, com um emprego cada uma para sustentar suas famílias. A cidade está voltando a gerar emprego para a população. Mas enquanto estiverem saibam também da importância que terão para nossa cidade. Quando florescemos a cidade estamos querendo dizer à população que a cidade merece esse carinho, que a população merece, que o turista que vem para movimentar nossa economia, merece. É uma alegria ver as pessoas tirando fotos dos jardins, tornando Serra Negra cada vez mais conhecida”, disse o Prefeito.

O Juiz Carlos Eduardo Silos de Araújo definiu Deborah Chedid como “baluarte” do projeto. O que a senhora fez foi seguir o mandamento contido na Bíblia, na carta de São Tiago: ‘a fé sem obras é morta em si mesmo’. A senhora teve a fé e a ideia e está executando, juntamente com as senhoras secretárias, e também cumprindo mandamentos constitucionais. De acordo com o artigo 226 da Constituição, ‘a família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado’”, ressaltou.

O Delegado Rodrigo Cantadori falou que a Prefeitura, com apoio das forças de segurança, Ministério Público e poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, oferece um ciclo completo de apoio e acolhimento a pessoas em situação de vulnerabilidade. “É um projeto exemplar. Isso mostra que esta Administração não está preocupada somente com obras e sim com o atendimento aos que mais necessitam”, afirmou.

O vereador Renato Giachetto também destacou que este projeto, pioneiro na região, torna Serra Negra mais uma vez referência em Assistência Social.

Deborah Chedid agradeceu o apoio de todas as autoridades presentes e destacou que é preciso ter um olhar mais atento às mulheres. “Sempre ficamos pensando no que vamos fazer para trazer mais qualidade de vida para as mulheres de nossa cidade. Cuidamos de toda a população, mas temos um carinho especial com as mulheres. Queremos empoderar essas mulheres, independente de classe social, religião e cor. Que elas possam fazer o que quiserem. Elas só precisam de apoio. Basta querer que vamos estar aqui de braços abertos”, disse a Primeira-Dama, que destacou também os diversos cursos gratuitos oferecidos na Escola Profissionalizante.

Ao final da solenidade, as mulheres receberam camisetas, equipamentos de proteção individual (EPIs) e apostilas do projeto.

O PROJETO

As secretárias Daniele Pachioni e Berenice Del Buono destacaram que as mulheres são beneficiárias do programa Frente de Trabalho e cuidarão exclusivamente das praças que receberam novo paisagismo e o plantio de flores, mantendo a beleza da cidade.

Da Secretaria de Agricultura receberão treinamento inicial, com aulas de paisagismo e jardinagem na Escola Profissionalizante José Franco de Godoy. Em seguida passarão a atuar, a princípio, nas seguintes praças: Lourenço Franco De Oliveira, John F. Kennedy, João Zelante, Barão do Rio Branco, Convívio Serrano, Passarela Danilo Nascimento dos Santos, Praça Ana Carolina e Fonte Santo Agostinho com serviços que envolverão a limpeza dos canteiros, o rastelar, regar, repor flores, entre outras funções. Com a boa adesão e participação dessas mulheres no projeto, pode-se pensar na possibilidade de ampliar o número de participantes para que cuidem também das praças dos bairros.

Cada mulher também receberá um salário-mínimo e uma cesta básica por mês. Ao longo do prazo máximo de permanência no programa, que é de 12 meses (com possibilidade de prorrogação por igual período, conforme determinação da gestão municipal), a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, através das equipes do CRAS e do CREAS, prestará todo auxílio psicossocial e buscará meios de encaminhar essas mulheres para o mercado de trabalho através do PAT e da iniciativa privada.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura