Por: A Tribuna
17/07/2020
13:07

A Polícia Militar Ambiental da região foi acionada quando a Polícia Militar Rodoviária parou um veículo modelo GM/Kaded, com uma carreta com diversas aves e animais silvestres sem as autorizações necessária.

O veículo, que tinha três homens, foi parado na Rodovia Fernão Dias (BR-381), no município de Vargem, interior de São Paulo, e a equipe de fiscalização encontrou total de 384 aves e animais silvestres. Entre eles foram encontradas 26 aves silvestres mortas, além de duas iguanas e 61 filhotes de jabutis vivos.

Todos as aves e animais são originários da Bahia. Entre a relação as aves encontradas trata-se de 90 Currupiões, 59 Azulões, 52 galo de campina, 41 Tico-Tico, 34 Coleirinhos, 12 Periquitos Tuim, quatro Canários da Terra, três Pássaros Pretos,

Durante a fiscalização foi constatado que todas as aves e animais silvestres apresentavam sinais claros de maus tratos, abrigo inadequado, sem higiene e alimentação adequada, o que acabou causando a morte das 26 aves.

Os homens confessaram que conseguiram as aves e animais silvestres no Estado da Bahia, e iriam comercializá-las me uma Feira do Rolo, na cidade de São Miguel Paulista.

Prisão e multa milionária

A ocorrência foi apresentada na Delegacia de Polícia de Bragança Paulista, onde o delegado registrou a ocorrência e determinou a prisão dos envolvidos. Diante da falta das autorizações necessárias de transporte e comercialização de animais silvestres, foram elaborados diversos autos de infração ambiental que totalizaram o valor de R$ 2.845.000,00 em desfavor de cada um dos autuados.

As aves e animais foram encaminhados para a Associação Mata Ciliar/Foto: DIvulgação

 

Associação Mata Ciliar

As aves e os animais silvestres apreendidos foram encaminhados para a Associação Mata Ciliar, que prestará os cuidados com veterinário e biólogo, além de arcar com os altos custos de transporte ao local de origem das aves. Segundo Cristina Harumi Adania, coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar, “para essas aves que vieram da Bahia vamos precisar de 35 mil reais, para leva-las de volta”, afirmou.

A Associação Mata Ciliar é uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos, com unidades em Pedreira e Jundiaí, que desenvolve diversas ações para a conservação da biodiversidade.

Campanha de ajuda

Para ajudar a levantar recursos para pagar as despesas com as aves apreendidas a instituição deu início à uma campanha e está recebendo contribuições financeiras. As doações poderão ser feitas para a conta da Associação Mata Ciliar: Banco Santander, Agencia 0281, c/c 13002007-8, CNPJ 61056933/0001-95.


  Compartilhar

Ler mais notícias em Região

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura