Por: A Tribuna
08/03/2022
17:03

Os vereadores da Câmara Municipal de Amparo devem na próxima semana votar uma moção de repúdio contra o deputado estadual Arthur do Val (Podemos), mais conhecido pelo apelido “Mamãe Falei”, após a divulgação de áudios em que ele sexualiza refugiadas ucranianas. Na tribuna da Câmara Municipal, na sessão de segunda-feira, 7 de março, a vereadora Silvia Forato de Camargo, a Silvinha Forato (PT), disse que a moção recebeu a assinatura de todos os vereadores do legislativo amparense. Na eleição de 2018, Mamãe Fale teve em Amparo 661 votos, sendo o segundo mais votado do seu partido o DEM na época em Amparo, o 6º entre todos os candidatos que receberam votos no município. No Estado ele recebeu 478.280 votos, sendo o segundo mais votado.

Silvinha forato (PT) lembrou que o deputado e ao grupo que ele pertence, o Movimento Brasil Livre (MBL), são conhecidos por promover o que é chamado “Pânico Moral”. Situação onde criam fatos e fake News sobre determinados assuntos para criar polêmicas desnecessárias e expor pessoas, eventos e acontecimentos.

A vereadora lembrou primeiro que estranhou o deputado viajar para um país em guerra com o proposito de oferecer “ajuda humanitária”. A vereadora lembrou que isso não é uma atribuição de um deputado estadual. Para a vereadora, o deputado mostrou que esteve no Leste europeu para fazer turismo sexual e lamentou a frase do deputado “São fáceis, porque são pobres”.

Para a vereadora o deputado extrapolou ao classificar desta maneira mulheres refugiadas, que estavam em situação de conflito e totalmente vulneráveis. Para Silvia Forato, “a democracia não tem espaço para pessoas como o deputado Arthur do Val”

Na mesma sessão o vereador Elson Batista da Silva (PL) lembrou que o deputado Arthur do Val cometeu um crime e merecia perder o mandato. O verear Edilson José Camillo, o Dil (PSD) disse que assinou a moção contra o deputado e que ele deveria ser cassado.

Apesar de ter recebido uma ótima votação em Amparo em 2018, mesmo não fazendo campanha na cidade, Arthur do Val está entre os deputados que nada fez em benefício do município.

Mamãe Falei

 O deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP), mais conhecido pelo apelido “Mamãe Falei”, enviou áudios em que sexualiza refugiadas ucranianas. O deputado que era pré-candidato ao governo de São Paulo (ele renunciou a pré-candidatura na segunda-feira, dia 7) pelo partido do ex-ministro Sergio Moro, Do Val havia viajado à fronteira entre Ucrânia e Eslováquia para supostamente ajudar na resistência contra a invasão russa. No entanto, áudios revelados em primeira mão pelo site Metrópoles na sexta-feira, 5 de março, mostram declarações machistas do deputado estadual sobre refugiadas e policiais ucranianas.

“Ah, e detalhe, mano, detalhe: elas olham. E vou te dizer: são fáceis, porque elas são pobres. E aqui, cara, minha carta do Instagram, cheia de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, mas eu colei em duas minas, porque a gente não tinha tempo, em dois grupos de mina, e é inacreditável a facilidade”, afirma Do Val em um dos áudios.

Em seguida, o deputado estadual diz que está “mal” depois de ter passado pelas barreiras alfandegárias entre Eslováquia e Ucrânia. “Mano, eu juro pra vocês, eu contei, foram 12 policiais deusas, que você casa e faz tudo que ela quiser. Eu não tenho nem palavras pra expressar. Quatro dessas eram minas que nem sei te dizer? Se ela cagar você limpa o cu dela com a língua.

Inacreditável, cara, assim que essa guerra passar eu vou voltar pra cá”, afirma.

O expoente do Movimento Brasil Livre (MBL) ainda chama as ucranianas de “gold diggers”, ou seja, mulheres que estão interessadas apenas em dinheiro, e cita “dicas” para pegar loiras na Europa. “Você tem que ir pras cidades normais, porque você pega as minas assim, você pega ela no mercado, você pega ela na padaria”, afirma.

Em outro trecho, Do Val diz que nunca viu “nada parecido em termos de mina bonita”. “A fila das refugiadas, irmão? Imagina uma fila, sei lá, de 200 metros, só deusa. Sem noção, inacreditável, é um bagulho fora de série. Se você pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila dos refugiados aqui”, acrescenta.

Resposta

Do Val retornou ao Brasil na manhã deste sábado (5) e admitiu a autoria dos áudios. “Foi errado o que eu falei, não é isso o que eu penso. O que eu falei foi um erro num momento de empolgação”, declarou o deputado ainda no saguão do Aeroporto de Guarulhos.

“Se as pessoas quiserem me julgar pelo meu áudio, acho que as pessoas têm esse direito. Peço só que as pessoas entendam o contexto. Uma coisa é o Arthur que foi lá fazer a missão que fez e saiu. A outra coisa é o Arthur que já tinha saído e mandou um áudio num grupo privado para os amigos dele, de forma errada e descabida”, acrescentou.

Além disso, Do Val justificou que “relaxou” após retornar da Ucrânia para a Eslováquia, dizendo que é “homem e jovem” – ele tem 35 anos de idade – e que viu “um monte de mulheres bonitas sendo simpáticas”. “E falei: por que isso tá acontecendo? Talvez porque aqui em São Paulo as mulheres sejam mais inacessíveis”, ressaltou.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura