Por: A Tribuna
28/10/2021
14:10

O pensionista e suposto “digital influencer” José Fernando Giglioli, que constantemente exibe vídeos na rede social Facebook para criticar diversas pessoas da cidade, teve que se retratar e pedir desculpas à servidora pública comissionada da Prefeitura de Amparo, Selma de Moraes, após a promoção de uma ação judicial por crime de calúnia, injúria e difamação. Após acordo firmado perante o juiz Fernando Leonardi Campanella e o promotor de Justiça Gilson Ricardo Magalhães, o vídeo com o pedido de desculpas foi exibido pela primeira vez na terça-feira, 26 de outubro, na página do pensionista. No acordo, ficou acertado que o vídeo deveria ser público e exibido por cinco dias, e deveria permanecer na página por 90 dias. Cópia do vídeo teve ainda que ser encaminhada ao Juizado Especial Civil e Criminal (Jacrim).
Porém, no vídeo através do qual teve que se retratar, Fernando Giglioli se apresentou de máscara, óculos escuros e boné. A forma como se apresentou foi muito diferente das exibições apresentadas em vídeos anteriores, já que nunca utilizou máscaras. No vídeo, Fernando Giglioli leu a seguinte mensagem: “Olá, meus amigos! O vídeo de hoje é para me desculpar publicamente à Selma de Moraes por acusá-la injustamente de falsificadora e por tentar denegrir sua imagem diante da população de Amparo. A Selma de Moraes é uma pessoa de caráter e não cometeu nenhuma irregularidade que possa abalar sua credibilidade. Peça desculpa por todo esse transtorno”.
A ação contra o pensionista Fernando Giglioli foi formulada no dia 29 de junho deste ano pelo advogado Guilherme Mantovani Coli. O vídeo foi postado na rede social Facebook no dia 3 de junho, às 10h57 Na ação, que terminou em acordo, o advogado cita que as acusações de Fernando Giglioli são “todas acusações inexplicavelmente falsas e absurdas sob qualquer ponto de vista, sobretudo o ético, sendo certo que todas inadmitem o expediente da Exceção da Verdade contido no parágrafo único do artigo 139 do diploma penal. A querelante é cidadã honesta e todos os aspectos de sua vida pessoal narrados no vídeo infamante são falsas e em nada dizem respeito à opinião pública, ainda que ocupe um cargo interno em autarquia municipal”. Diz ainda o advogado: “Assim, patente a consumação do delito de difamação, devendo o querelado ser processado e condenado às penas contidas no artigo 139 do Código Penal”. O artigo 139 diz o seguinte: “Artigo 139 - Difamar alguém, imputando fato ofensivo à sua reputação: Pena- detenção de 3 (três) meses a 1 (um) ano e multa.
Fernando Giglioli é conhecido por ser defensor e seguidor do ex-prefeito Luiz Oscar Vitale Jacob (PSDB). Desde janeiro deste ano, ele começou a publicar diversos vídeos com ataques, a maioria deles ofensiva a diversas pessoas da cidade de Amparo. Sempre no início dos vídeos, ele utiliza a conhecida chamada (Plantão Globo) da Rede Globo de Televisão. A Tribuna não conseguiu a informação se Fernando Giglioli tem ou não autorização da emissora para utilizar a chamada.  


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura