Por: A Tribuna
01/03/2021
16:03

Procuradores da República reclamaram do novo celular funcional do MPF (Ministério Público Federal) e chamaram o aparelho, que custa de R$ 2.600 a R$ 3.600, de “esmola“. As informações são do jornal Folha de S. Paulo, que teve acesso a mensagens da rede interna dos procuradores.

O celular funcional é um direito dos procuradores, que também têm acesso a um notebook no valor de R$ 4.500 e um tablet. O aparelho do qual os procuradores reclamaram é um iPhone SE, lançado pela Apple em 2016. A escolha do modelo do aparelho funcional foi feita pela PGR (Procuradoria Geral da República). Os integrantes do MPF querem celulares mais modernos e caros.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura