Por: A Tribuna
23/03/2022
09:03

A sétima sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Amparo, dia 22 de março, teve como um dos projetos discutidos e aprovados o Projeto de Decreto Legislativo nº 02/2022, que se refere às contas do exercício de 2019 da Prefeitura Municipal, penúltimo ano da administração do ex-prefeito Luiz Oscar Vitale Jacob (PSDB). Com total de nove votos, o projeto foi aprovado com observações dos vereadores.

Na tribuna da Câmara Municipal, o vereador Pastor Elson Batista (PL) lembrou que o assunto foi bastante discutido entre eles, principalmente por ter recebido recomendações do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. “Sabemos que o Tribunal deu parecer pela aprovação das contas, mas espero que o governo municipal observe as recomendações”, disse.

Já o vereador Edilson Santos (DEM) afirmou que os apontamentos são significativos, porém os técnicos concluíram que seriam favoráveis às contas. “Perante a decisão dos técnicos, vou ser favorável também”, acrescentou.

A vereadora Silva Forato (PT) pontuou que “foram assustadoras as análises das ressalvas, porque houve queda na nota relacionada ao Meio Ambiente. Isso preocupa muito, e é um grande retrocesso. Além do que, alguns pontos já apareceram em 2018, então fica de lição para observarmos estes pontos”, declarou.

Edilson José (Dil - PSD) reforçou que, como os apontamentos do Tribunal de Contas envolvem principalmente o Meio Ambiente, as situações devem ser corrigidas. “Fica o alerta para a correção, bem como para o excesso de pagamento de horas extras”, disse.

Estavam presentes os vereadores Antonio Cesar Mineiro (MDB), Carlos Cazotti (MDB), Edilson Santos (DEM), Edilson José (Dil - PSD), Pastor Elson Batista (PL), Farlin Conrado (MDB), Luiz Carlos (Carlitinho - PSDB), Rosa Montini (PSDB) e Silva Forato (PT).


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura