Por: A Tribuna
02/02/2022
09:02

O amparense João José Tafner foi nomeado na terça-feira, primeiro de fevereiro, corregedor da Receita Federal. Tafner é auditor da Receita Federal. A nomeação foi publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União (DOU), com a assinatura do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Tafner é servidor federal há quase 20 anos. Ocupou no ano passado o cargo de diretor administrativo-financeiro da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), empresa que também é vinculada ao Ministério da Economia. O comando da corregedoria da Receita estava vago desde julho do ano passado.

Polêmica

A nomeação de João José Tafner foi noticiada pelos grandes meios de comunicação e gerou muita polêmica, Dentro da Receira Federal, ele é tido como apoiador do presidente Jair Bolsonaro. A corregedoria da Receita é uma área de interesse do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), filho do presidente.

Durante a campanha eleitoral de 2018, ele posou para fotos ao lado do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), de Marcos Pontes (hoje ministro da Ciência e Tecnologia) e do candidato a deputado estadual pelo PSL Marcus Dantas. Nas fotos, Tafner aparece utilizando um adesivo da campanha de Dantas. 

O comando da corregedoria da Receita estava vago desde julho do ano passado, quando terminou o mandato de José Pereira de Barros Neto. No ano passado, Guedes indicou para o posto o auditor Guilherme Bibiani. Entretanto, segundo informou o colunista e jornalista Lauro Jardim na época, a nomeação foi travada por Flávio Bolsonaro, que gostaria que alguém de sua confiança ficasse no posto. 

Barros Neto havia sido alvo de um pedido de investigação de Flávio, que acusou o então corregedor de deixar de apurar supostos atos ilegais. O Ministério da Economia, contudo, concluiu que não houve infração e arquivou o caso. 

A defesa do senador alega que a investigação da "rachadinha", da qual ele é alvo, teria sido iniciada a partir da atuação irregular de auditores da Receita no Rio de Janeiro. Em 2020, Flávio e seus advogados se reuniram com o então secretário da Receita, José Barroso Tostes Neto, para apresentar suas suspeitas.

Tostes Neto deixou o cargo em dezembro. A ordem para exonerá-lo teria partido de Bolsonaro, atendendo os interesses de Flávio.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura
situs togel slot agen toto 4d togel macau slot mahjong wayz srbnews.id bandar togel online slot demo habanero situs slot pg soft wahtogel wahtogel unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto situs togel online situs togel online togel macau togel slot oryornoi naturalmarkeet mgjakartaselatan jaigurudevashrammathura bo togel agen toto electrokwt