Vista-se de LIBERDADE!

Delicia minha matéria cair bem nesse dia! Penso que: O Dia Internacional da Mulher é ir muito além de festejar a data, mas refletirmos sobre nossa condição humana, nossa realidade social, econômica, ideológica e cultural.

O dia 8 de março é um marco histórico, uma data que remete a uma tragédia, quando inúmeras mulheres lutadoras, trabalhadoras da indústria têxtil morreram queimadas, a data, porém é de reflexão.

Em nossa cultura e há décadas atrás as mulheres estavam juridicamente vinculadas ao pai ou ao marido, era nítida a questão da mulher como propriedade masculina. Não só os direitos, mas a religião, e as convenções sociais.

A lei mudou, mas as questões culturais e religiosas continuam presas aos moldes antigos, mantendo uma espécie de acordo: mulheres são propriedade de um homem. Até quando teremos medo de sermos vítimas de abuso sexual, agressões físicas ou torturas psicológicas?

O controle sobre as roupas é mais sutil, mas ainda é efetivo. Uma mulher comprometida não deve se vestir como ela quiser, deve parar de usar decotes, maquiagem e roupas chamativas, quantas brigas e violências são causadas porque o parceiro não quer que a namorada saia com determinada roupa. Uma mulher que usa roupas “curtas e provocativas” não é “mulher de família”, além de estar “pedindo” para ser assediada ou estuprada! Por incrível que pareça, essa aberração ainda é ouvida!

A luta das mulheres é por um outro mundo! Queremos que essa luta seja segmentada!

Assim, cabe-nos o desafio pessoal e diário de olharmos para dentro, de buscarmos motivações que nos façam caminhar diariamente em busca de nossos desejos, de seguirmos firmes em nossa luta, de sermos livres! É preciso mais ainda, é preciso nos empoderarmos e sabermos valorizar umas às outras, entendermos nosso papel para cultivarmos a liberdade em todos os aspectos.

#VistaOqueTeFazFeliz

Até a próxima!

Comentários

comentários