Por: Fonte: Agência Brasil
23/11/2022
11:00

O cantor e compositor Erasmo Carlos, 81 anos, morreu ontem, terça-feira, 22 de novembro, em decorrência de problemas causados por uma síndrome edemigênica (quando há excesso de líquido nos tecidos do corpo), informou o filho do cantor Gil Eduardo Esteves. Ele estava internado no Hospital Barra D'Or, na zona oeste do Rio.

Um dos principais nomes do movimento da Jovem Guarda, junto com Roberto Carlos e Wanderléa, nos anos 60, Erasmo Carlos nasceu no Rio de Janeiro, em 1941. No final da década de 1950, passou a integrar o grupo The Boys of Rock, que depois passou a se chamar The Snakes.

Em 1962, Erasmo tem sua primeira composição, Eu Quero Twist, uma parceria com Carlos Imperial, gravada por Agnaldo Rayol. Ainda no início dos anos 1960, tem uma breve passagem pelo grupo Renato e seus Blue Caps, com quem gravou o segundo LP da banda.

Em 1964, começa a carreira solo, gravando o compacto Terror dos Namorado e a música Festa de Arromba, um de seus primeiros grandes sucessos, ambos feitos em parceria com Roberto Carlos. Ainda com Roberto, gravou Quero que Tudo Vá pro Inferno.

Em 1965, passa a comandar, com Roberto Carlos e Wanderléa, o programa musical Jovem Guarda, na TV Record. No mesmo ano, lança seu primeiro LP, A Pescaria.

Também atua em filmes como Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa (1969), A 300 Quilômetros por Hora (1970), ambos do diretor Roberto Farias, e Os Machões (1971), dirigido por Reginaldo Faria.

Em sua longa carreira, gravou músicas próprias, muitas em parceria com Roberto Carlos, e composições de músicos como Caetano Veloso, Ary Barroso, Taiguara, Belchior e Gilberto Gil.

Lançou também diversos álbuns como Erasmo Carlos e os Tremendões (1970), Carlos, Erasmo (1971), Erasmo Carlos Convida (1980), Mulher (1981), Amar pra Viver ou Morrer de Amor (1982), Apesar do Tempo Claro (1988), Para Falar de Amor (2001), Santa Música (2004) e Rock and Roll (2009).

No início da noite, a família do cantos se pronunciou por meio de nota:

"No dia do músico, nosso amado Erasmo Esteves, o Erasmo Carlos, o Gigante Gentil, o Tremendão, o Pai do Rock Nacional, se despediu.
Erasmo criou, amou, acompanhou a cada um de nós nos momentos importantes das nossas vidas. E além de todas as maravilhas que compôs e cantou durante décadas, ele nos deixou recados: o futuro pertence à jovem guarda. E que é preciso saber viver!”

A última publicação no Instagram de Erasmo Carlos até o começo desta tarde havia sido há quatro dias. O cantor comemorava o Grammy Latino que recebeu pelo álbum O futuro pertence à... Jovem Guarda na categoria Álbum de rock ou música alternativa em língua portuguesa.

"É tão importante entender o conceito, quando ouvir a música... Existem várias formas de amor, e eu preciso de todas. Obrigado a todos que contribuíram para mais essa vitória, esse Grammy é o reconhecimento do nosso trabalho. O futuro pertence à Jovem Guarda!", comentou. No post, músicos, artistas e amigos prestaram homenagens e lamentaram a morte do cantos.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura