Por: A Tribuna
19/12/2021
10:12

O professor D.C.X,, 35 anos, morador do Jardim São Sebastião, em Amparo, teve prisão temporária decretada após ser acusado de estupro de vulnerável. A prisão foi determinada pelo juiz da 1ª Vara de Amparo, Fernando Leonardi Campanella, que acatou pedido do Ministério Público. O acusado na condição de professor e tutor teria praticado atos libidinosos contra seis jovens com idades de 12 a 15 anos, da Escola Estadual Doutor Nelson Alves de Godoy, localizada no Distrito de Três Pontes, em Amparo. O professor foi preso em casa.

O caso teve início quando a avó de um dos jovens procurou o Conselho Tutelar de Amparo para informar que o neto teria sido molestado pelo professor. Imediatamente, o Conselho Tutelar acionou a direção da escola e alertou sobre a importância de acolher o jovem, pois provavelmente novos casos poderiam aparecer. No dia seguinte, a direção da escola procurou novamente o Conselho Tutelar de Amparo para informar o aparecimento de outras cinco denuncias de abusos. Diante do fato, os pais dos jovens foram chamados a escola para uma reunião no último dia 9 de dezembro. Nesta reunião, os conselheiros falaram da importância de registrar boletins de ocorrência sobre o caso, pois havia ocorrido crimes e também para permitir ao Conselho Tutelar dar os encaminhamentos de proteção previstos em lei. A reunião contou com o apoio da Guarda Civil Municipal (GCM) de Amparo bem como da Polícia Civil de Amparo.

 A Delegacia de Polícia também foi informada sobre o caso. Com os boletins de ocorrência formulados, o Conselho Tutelar de Amparo procurou o Ministério Público para informar sobre o caso, isto ocorreu na segunda-feira, 13 de dezembro. Na quinta-feira, 15 de dezembro, a Justiça expediu mandado de prisão contra o professor. Também foi determinada a apreensão do aparelho celular do professor que seria periciado em busca de imagens e ligações suspeitas.

A acusação

A Polícia Civil de Amparo com a ajuda a direção da escola apurou que o acusado aproveitou a condição de professor e tutor dos jovens teria cometido estupro de vulnerável contra seis jovens com idade de 12 a 15 anos, do Distrito de Três Pontes. A forma dos abusos sempre era a mesma conforme relatado nos boletins de ocorrência. O professor abraçava e passava as mãos nas coxas e nas partes intimas dos adolescentes. Uma das vítimas chegou a relatar que todos os alunos da sala de aula teriam passados pela situação e que o professor pedia “silêncio” sobre o que estaria ocorrendo nas suas aulas.

Diante dos relatos, o Ministério Público pediu a prisão temporária do professor. Logo após a primeira denúncia, o professor foi afastado das suas funções na escola. O mandado de prisão foi cumprindo pela Polícia Civil de Amparo com o apoio da Guarda Civil Municipal(GCM) de Amparo que prendeu o acusado na sua residência. O Código Pena prevê no artigo 217ª que a pena por estupro de vulnerável e de 8 a 15 anos de prisão.

Após ser preso, o professor passou por audiência de custódia no Fórum de Amparo e depois recolhido no Presídio de Piracaia (SP). A polícia acredita que mais jovens podem ter sido molestados pelo professor. Denúncias podem ser feitas junto a Conselho Tutelar de Amparo bem como a Delegacia de Polícia.   


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura