Por: A Tribuna
08/02/2024
18:02

Na terça-feira, 6 de fevereiro, por volta das 8h20, na cidade de Monte Alegre do Sul, uma equipe da Polícia Militar foi solicitada a comparecer no Bairro Ribeirão dos Limas. A equipe da PM se dirigiu juntamente com a viatura da Polícia Ambiental e uma veterinária do município para a residência localizada em perímetro rural para verificar uma denúncia sobre maus-tratos a animais.

Na residência indicada, ninguém atendeu as equipes, as quais foram alertadas por populares de que os proprietários haviam saído e que poderiam estar em terreno onde estariam realizando uma obra.

As equipes se dirigiram ao local indicado e localizaram um homem identificado como R.G.C. e uma mulher R.S.L. No local, os policiais questionaram se eles possuíam antecedentes ou pendências criminais. R. informou que estaria em condição de procurado da Justiça pelo crime previsto no artigo 180 (receptação) do Código Penal.

Questionados sobre óbito e maus-tratos dos animais, ele informou que um cão havia morrido e uma fêmea pitbull estava na vizinhança.

Questionado referente a furtos que haviam ocorrido na região, a parte negou envolvimento, porém informou que tinha objetos estranhos em sua residência e que o seu filho de criação poderia tê-los furtado.

Com base nas informações, as equipes retornaram à residência para averiguação da denúncia de maus-tratos a animais e sobre os objetos que estavam na casa. A entrada da polícia à casa foi franqueada. No local, as equipes não encontraram o animal.

Na vistoria da casa, foi localizada certa quantia de maconha (270,46 gramas) e diversos objetos: um cooktop de indução, um forno elétrico (OSTER), um GPS e diversas panelas de cozinhar e algumas peças que aparentaram ser de aquecedores de residência.

Após algum tempo, os filhos do casal chegaram à residência. Questionados sobre os objetos, confessaram que eram todos produtos de furto em um condomínio próximo da residência. Pelas imagens registradas no dia do furto, as quais estão em posse das equipes, foi possível localizar as blusas que os menores infratores vestiam no dia do furto.

Com os menores chegou uma cachorra da raça Pit Bull, quando, então, foram constatados maus-tratos. O animal estava muito magro. Um outro cachorro foi encontrado morto no quintal e em estado de decomposição. Eles alegaram que deixaram outra pessoa como responsável enquanto viajavam e essa outra pessoa não alimentou os animais.

Diante dos fatos, foi dada voz de prisão aos indivíduos por tráfico de drogas, receptação, maus-tratos de animais e, em seguida, foram informados sobre seus direitos constitucionais e conduzidos até a Delegacia de Polícia. Na Delegacia, o delegado de plantão ratificou a voz de prisão dada pelos policiais militares e determinou a transferência de todos para a cadeia, à disposição da Justiça, até passarem por audiência de custódia.

A cachorra foi encaminhada para a veterinária responsável em Monte Alegre do Sul, aguardando adoção temporária.

Naquela oportunidade, foram lavrados Autos de Infração Ambiental valorados em R$ 18 mil pela Polícia Ambiental. Os policiais militares que participaram dessa ocorrência foram: subtenente PM Bifarate, sargento PM Farias, cabo PM Caio, cabo PM Cotting e soldado PM Felix.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura