Por: A Tribuna
23/02/2021
08:02

A mãe do bebê Isis Helena, Jennifer Natalia Pedro, foi encontrada morte dentro do presídio de Tremembé (SP) na noite de ontem, 22 de fevereiro. Jennifer estava presa após confessar ter matado a própria filha em março do ano passado na cidade de Itapira e aguardava julgamento. A morte de Jennifer foi confirmada em rede social pelo advogado e representante da família do pai criança, Roberto Guastelli. Ela foi encontrada em sua cela na Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, a P1 de Tremembé (SP). A suspeita é de que ela tenha cometido suicídio.

Em 20 de março do ano passado, a Policia Civil de Itapira a mãe da bebê Ísis Helena confessou o crime contra a filha desaparecida desde o dia 2 de março em Itapira e afirmou que a criança está morta. De acordo com a polícia, Jennifer Natalia Pedro disse ter jogado o corpo da criança de 1 ano e 10 meses no rio porque se desesperou ao notar que a menina tinha morrido engasgada com leite.

A princípio, a versão da mãe era a de que a menina havia desaparecido enquanto ela saiu para sacar dinheiro com a avó da criança. No relato da mãe à época, a criança teria ficado na casa com o avô, que a família desconfia sofrer de Alzheimer. A mãe afirmava, então, que, quando voltou, a porta da casa estava aberta e a bebê não estava mais no local.

Segundo a polícia, após ser presa e notar que a polícia já havia identificado inconsistência nos depoimentos dela, Jennifer mudou a versão dos fatos. Ela afirma no novo depoimento que a filha estava doente na noite anterior, com febre, e ela deu mamadeira e colocou a criança para dormir de barriga para cima. No dia seguinte, às 6h da manhã, a mãe teria percebido que a criança se asfixiou e morreu. Segundo a polícia, a mãe afirmou, então, que ficou com medo e decidiu jogar o corpo no rio.

O corpo da bebê Ísis Helena foi enterrado em uma área do bairro Duas Pontes, de Itapira e encontrado no dia 29 de março do ano passado.

A mãe de Ísis, Jennifer Natalia Pedro, afirmou na época que enterrou o corpo da menina, e não que o jogou em um rio, como havia dito quando admitiu o crime.

Depois da mudança de versão, o corpo foi encontrado e levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Mogi Guaçu.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura