Por: Portal Airway.
17/03/2021
09:03

O casco do porta-aviões São Paulo da Marinha do Brasil foi arrematado na última sexta-feira (12) por R$ 10.550.000,00. A negociação foi promovida pela casa de leilões João Emílio Leiloeiro, no Rio de Janeiro (RJ). Ainda não temos informações sobre quem foi o comprador da embarcação desativada.

O processo de licitação para vender o casco do navio, conduzido pela Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON, vinculada ao Ministério da Defesa), começou em setembro de 2019. O primeiro leilão da embarcação, em outubro de 2020, terminou sem comprador. O lance inicial na época era de R$ 5.309.733,65. No pregão realizado na semana passada, o valor mínimo subiu para R$ 7.756.243,80.

Em edição do Diário Oficial da União de 29 de janeiro de 2021, a Comissão da Licitação informou que três empresas estavam habilitadas para participar do leilão “por cumprimento integral às exigências do Edital”: Rota Shipping Inc e a Sok Denizcilik ve Ticaret, ambas da Turquia, e a Aratu Serviços Marítimos, com sede em Salvador (BA).

em condições de ser reformado ou vendido para continuar navegando em outro país, o porta-aviões São Paulo foi oferecido no mercado como sucata. O comprador deve garantir que a embarcação será reciclada de forma segura e ambientalmente adequada, respeitando as resoluções da Organização Marítima Internacional (IMO) e requisitos da Convenção de Basileia.

Na ata de pré-credenciamento do leilão, as duas empresas turcas apresentaram planos de desmontar o porta-aviões em instalações na Turquia. A Aratu Serviços Marítimos, por sua vez, enviaria o barco para um desmanche em Alang, na Índia. O reboque da embarcação até o local de desmonte é função do comprador. A Marinha do Brasil ainda não respondeu aos pedidos de comentários do Airway.

Maior navio de guerra do Brasil

Maior embarcação militar que serviu com a bandeira brasileira, o navio-aeródromo São Paulo chegou às mãos da Marinha no ano 2000, comprado da França por US$ 12 milhões durante o governo de Fernando Henrique Cardoso

Quando ainda estava ativo, o São Paulo era o porta-aviões mais antigo do mundo em operação. A embarcação foi lançada ao mar em 1960 e serviu com a marinha da França com o nome FS Foch, de 1963 até 2000. Sob a identidade francesa, o navio de 32,8 mil toneladas e 265 metros de comprimento atuou em frentes de combate na África, Oriente Médio e na Europa.

Com a Marinha do Brasil, no entanto, a embarcação teve uma carreira curta e bastante conturbada, marcada por uma série de problemas mecânicos e acidentes. Por esses percalços, o navio passou mais tempo parado do que navegando. Em fevereiro de 2017, após desistir de atualizar o porta-aviões, o comando naval decidiu desativar o NAe São Paulo em definitivo.

Segundo dados da marinha brasileira, o São Paulo permaneceu um total de 206 dias no mar, navegou por 54.024,6 milhas (85.334 km) e realizou 566 catapultagens de aeronaves. A principal aeronave operada na embarcação foi o caça naval AF-1, designação nacional para o McDonnell Douglas A-4 Skyhawk, hoje operados a partir de bases terrestres.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura
situs togel slot agen toto 4d togel macau slot mahjong wayz srbnews.id bandar togel online slot demo habanero situs slot pg soft wahtogel wahtogel unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto unsurtoto situs togel online situs togel online togel macau togel slot oryornoi naturalmarkeet mgjakartaselatan