Por: Vanderlei de Lima
22/02/2021
09:02

A Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) conta com seis modalidades diferentes de policiamento cotidiano. Este artigo visa apresentá-las resumidamente.

Programa de Radiopatrulha – Atendimento “190”. É, talvez, o mais conhecido da população em geral, dado que as pessoas, ante qualquer problema, costumam dizer “Chame a Polícia” e, de modo quase automático, discam 190. Este programa é, portanto, prioritário e pode ser encontrado em praticamente todos os municípios do Estado. Atua por meio de uma equipe de ao menos dois policiais militares numa viatura denominada rádio patrulha. Seu objetivo é preventivo (evitar o ilícito), mas também repressivo imediato (resolver, dentro de seus limites legais de atuação, o ilícito já ocorrido). Age pela presença, observação e intervenção (atendimento) nas ocorrências do dia a dia.

Programa de Policiamento com Motocicletas – Rocam. Muito usado nas grandes cidades nas quais o fluxo de carros dificulta o trânsito rápido de viaturas de quatro rodas e onde também os delinquentes se valem muito de motos para cometerem seus crimes. Ora, para prevenir tais ocorrências, a PM criou o Programa de Policiamento com Motocicletas que, com base na inteligência policial, na análise e no estudo das variáveis indicadoras de criminalidade, reforça a sensação de segurança e otimiza a ação preventiva.

Programa de Policiamento Comunitário. Criado em 1997, visa a maior integração do policial militar com a comunidade local, provocando, assim, uma melhor participação do cidadão, tanto na segurança quanto na prevenção de delitos. Esse Programa, em vigor numa comunidade bem coesa, faz-se altamente eficaz e pode baixar muito (ou mesmo zerar) os índices criminais da região abrangida. Afinal, a segurança pública é encargo de todos. A PM muito usa neste programa as Bases Comunitárias fixas ou móveis, além de Bases operacionais e postos policiais.

Programa de Forças Táticas (FT). É reconhecido por demostrar-se treinado para ações estratégias de polícia ostensiva e de preservação da ordem pública. Aqui, se inclui a prevenção por áreas, pela intensificação ou mesmo saturação localizada de policiamento, pela repressão ao crime organizado ou em locais com alto índice de crimes violentos, pela atuação nas ocorrências de vulto, nos grandes eventos, no controle de tumultos e em amplas ações para a restauração da ordem pública. As viaturas da FT são, via de regra, maiores, com mais policiais (3 ou 4) e possuem melhores armamentos. No interior especialmente, a Força Tática se situa na mesma cidade onde está a sede do Batalhão.

Programa de Policiamento Escolar. Trata-se de uma equipe fixa que é preparada para garantir a segurança das instituições de ensino e do seu entorno (o perímetro escolar). Conhecida como Ronda Escolar, tem a confiança dos alunos, de seus familiares e dos funcionários das Escolas, incluindo, é claro, a direção, a coordenação e os professores.

Programa de Policiamento de Trânsito. Como o próprio nome aponta, compõe-se de policiais militares que atuam especificamente com o trânsito. Visa priorizar a prevenção a delitos nos principais cruzamentos da cidade e a fluidez do tráfego, bem como a sua fiscalização. Esses policiais são bons conhecedores da legislação de trânsito e, na capital paulista, atuam em pontos selecionados com antecipação e estudados criteriosamente; com isso, dispõem-se a reduzir também os índices criminais em geral. Realizam ainda, entre outras atividades, operações específicas com o objetivo de coibir o uso de álcool por parte dos condutores e de fiscalizar o transporte de produtos perigosos.

Eis um panorama geral dos trabalhos rotineiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Vê-se que os policiais militares merecem nosso reconhecimento e gratidão por ofertarem a própria vida, se preciso for, para salvar a do próximo. Esta é, sem dúvida, a maior prova de amor que pode existir (cf. Jo 15,13). Agradeço, por oportuno, ao Major PM Cabral, da Comunicação Social da PMESP, amigo solícito de longa data, pelo envio de material para consulta e elaboração deste artigo.

Nota da redação: Vanderlei de Lima, eremita de Charles de Foucauld, ministra formações sobre o comportamento antissocial em Batalhões da PMESP.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura