E chegaram ao fim os 120 dias

E termina essa semana o prazo dado pela Justiça para que a Prefeitura Municipal de Amparo regularize a questão dos 61 cargos de confiança, que foram considerados inconstitucionais. Na decisão, o promotor deu um prazo de 120 dias para que a Prefeitura elaborasse um projeto de lei que regularizasse os cargos e salários dos 61 cargos de confiança, ou então, exonerasse todos.

E não é que a incompetência, aliada a soberba, fez com que o prazo se encerrasse sem nenhuma solução. O prefeito e o secretário de administração apresentaram nas últimas semanas, diferentes versões de um projeto que, em nenhum momento resolvia o problema, apenas alterava nomes, excluía cargos e criava outros, e quase sempre gerava ainda mais custos para o município. E sempre acreditando que o poder executivo mantinha total controle sobre os vereadores, e que o projeto seria aprovado a toque de caixa.

O resultado de tamanha falta de planejamento e de organização fez com que o prazo, de 120 dias, se esgotasse e todos os cargos de confiança terão que ser exonerados. O pior pesadelo que essa administração poderia viver, está se tornando realidade. Como ficará o prefeito sem todos os seus cargos de confiança? Quantos manterão silencio e apoio sem a contrapartida recebida todo dia 10? E como ficará a Prefeitura sem os serviços de tantos?

Um dos maiores medos da atual administração municipal é perceber que, talvez, o mundo não pare sem todos seus cargos de confiança. É perceber que o trabalho dentro da Prefeitura pode continuar sem todos os homens de confiança do prefeito e do secretário. É descobrir que se bem motivados e organizados, os funcionários de carreira podem sim manter as coisas funcionando bem dentro da Prefeitura. Afinal de contas, todos sabem que muitos dos atuais cargos de confiança são apenas figurativos, e caros, dentro da administração.

Agora é a hora de todos os funcionários de carreira mostrarem para o Prefeito, e para o povo, o verdadeiro valor de cada um. Mostrar que quem carrega nas costas essa, e todas as administrações, é, e sempre foi, o servidor público concursado. Mostrar que quem entende dos assuntos da prefeitura são aqueles que estão lá todos os dias, que há anos vem trabalhando na saúde, na educação, no esporte e no planejamento urbano da cidade. E não alguns “salvadores” que assumem cargos de confiança, sem conhecimento nenhum dos setores da administração municipal, e normalmente ganhando muito mais que os servidores de carreira. É verdade que existem exceções, que existem pessoas que assumem cargos de confiança com vontade, conhecimento e determinação para exercerem bons serviços ao município. É uma pena perder essas pessoas, mas parece que os administradores de Amparo não estavam muito preocupados com isso, afinal de contas tiveram 120 para elaborar um projeto de lei regularizando a situação, mas por incompetência e prepotência, não conseguiram aprová-lo ainda. E não adianta agora jogar a culpa nos vereadores que não votaram, ou na oposição que questionou cada projeto mal feito apresentado. Agora é hora de assumir a culpa pela exoneração de todos os cargos de confiança e pedir desculpa aos apoiadores da campanha por não poder honrar com mais essa promessa.

Mas ainda há esperança. Apresentem um projeto decente, pensando na melhor forma de organização dos cargos da Prefeitura e não apenas em como manter todos os “parças” empregados. Apresente um projeto conectado com a realidade financeira e política do país, discuta com os vereadores e com a população, e então consiga a aprovação desta necessária e importante reestruturação de cargos e salários para o município de Amparo. Quem sabe assim a administração tem uma nova chance de contratar pessoas capacitadas para cada função, e então fazer a Prefeitura funcionar com deve, e como foi prometido durante a campanha eleitoral.

Comentários

comentários