Por: Portal G1
05/12/2019
17:12

Quem vê as fotos da noiva em seu vestido e a alegria dos convidados não imagina que o casamento só aconteceu por causa da ajuda dos amigos. A faxineira Sueli Silva e o contramestre Lorival Dias da Silva contrataram uma empresa de Santa Bárbara d’Oeste (SP) para realizar a festa do casamento, mas dias antes os proprietários sumiram sem pagar fornecedores.

Eles só descobriram no dia da cerimônia, que foi improvisada para realizar o sonho deles. Outros casais podem ter passado pela mesma situação e a Polícia Civil apura a suspeita de golpe.

Foi um ano inteiro de planejamento e sacrifícios para pagar os R$ 16 mil pela festa, marcada para o último sábado (30). O casal contratou a empresa de Santa Bárbara para cuidar de todos os detalhes. "Eu ia ter o local da festa, o DJ, a cerimonialista, dois seguranças, garçom, cascata de chocolate, brindes dos padrinhos", detalha Sueli.

Após a contratação, um casal se apresentou como proprietário e ficou em contato com os noivos por vários meses, mas quando a data da festa foi se aproximando, o comportamento mudou. Eles contam que as conversas diminuíram.

No dia do casamento veio a surpresa. A empresa não pagou os fornecedores e a festa tão sonhada simplesmente não existia. O casamento só aconteceu graças à solidariedade dos profissionais e dos amigos, que improvisaram a festa.

"Aí começaram, um pra cá, outro pra lá, atrás de chácara para alugar para fazer essa festa. A gente foi atrás das coisas, ligamos, conseguimos mesas, bebidas, tudo", conta Lorival.

Outros casos

Diante de tanta revolta e decepção, outros casais estão com medo de passar pela mesma situação. O autônomo Gabriel Parussolo e a vendedora Karen Ribeiro Tofanelli marcaram o casamento para o próximo sábado (7). O contrato com a empresa é de mais de R$ 5,8 mil. A apreensão só cresce enquanto eles tentam contato com os organizadores.

"Teve a reunião ontem, ele não apareceu, a gente liga ele não responde, manda mensagem e nada", afirma Gabriel.

"É um sonho que a gente está querendo realizar há muito tempo, que a gente planeja e, de repente, está prestes a acabar com tudo", lamenta Karen.

O Guilherme e a Tamires fecharam o contrato de R$ 4,5 mil em novembro do ano passado e marcaram a cerimônia para o dia 14 de novembro, mas também não sabem o que vai acontecer. "Eu esto bem nervosa, muito nervosa", revela ela.

Investigação

A equipe de reportagem da EPTV, afiliada de TV Globo, procurou a Marcel Eventos e Entretenimento no imóvel que constava como endereço da empresa, mas ninguém foi encontrado.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou que está levantando informações nas delegacias da região para ver se outros boletins de ocorrência foram feitos acusando a empresa de Santa Bárbara de não cumprir contratos.

Cuidados na hora de fechar o contrato

Para evitar que o sonho vire pesadelo, a advogada Joanna Paes de Barros, especialista em direito do consumidor, orienta os casais a acompanharem de perto todo o processo.

"Acompanhar mensalmente, ir visitar os lugares, fazer as experimentações. Ir aos lugares que estão sendo contratados, exigir quem sabe esse outro contrato decorrente da celebração das várias atividades", indica.


  Compartilhar

Ler mais notícias em Região

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura