Por: A Tribuna
19/03/2020
23:03

O prefeito Luiz Oscar Vitale Jacob (PSDB) exonerou o secretário municipal de Fazenda e Orçamento Paulo Rossi. A portaria exonerando o secretário foi assinada e divulgada na sexta-feira, 13 de março. A exoneração aconteceu uma semana depois de o PSD, partido ao qual o secretário está filiado, haver anunciado que pretendia lançar candidato a prefeito e chapa completa de vereadores para a disputa da eleição municipal em outubro próximo.

Paulo Rossi já estaria divulgando que é pré-candidato a prefeito pelo PSD. Na última semana, o prefeito Jacob anunciou que vai apoiar a candidatura do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Mário Auler. Na quinta-feira, 19 de março, o agora ex-secretário concedeu uma entrevista e falou sobre os motivos da sua exoneração. Veja abaixo a entrevista com Paulo Rossi.

 

A Tribuna - O senhor anunciou sua pré-candidatura a prefeito pelo PSD, mesmo fazendo parte da Administração Municipal. Você acredita que a sua exoneração foi motivada por essa atitude, já que o Mário Auler é o candidato do prefeito?

Paulo Rossi- Não houve ainda nenhum anúncio oficial da minha pré-candidatura a prefeito. Foram apenas especulações até a presente data da minha demissão na semana passada. Acredito que essa decisão do prefeito Luiz Jacob se deu pelo destaque que minha atuação técnica à frente da Pasta de Finanças e Orçamento rendeu e acabou gerando todo esse movimento que me levou para dentro da política. Minha pré-candidatura nasceu de uma forma espontânea e natural, motivado pelo desejo das pessoas por algo novo para a cidade.  

 

A Tribuna – Agora, fora da Administração, como será sua campanha em relação à Administração Municipal?

Paulo Rossi - Será sempre pautada por um discurso construtivo e fundamentada em informações técnicas e verídicas, sem ataques pessoais e trazendo propostas que coloquem nossa cidade à altura das transformações pelas quais o país vem passando, principalmente na área de tecnologia e informação.

 

A Tribuna - Quais serão as propostas do PSD para Amparo?

Paulo Rossi - Eu tenho experiência e formação na área econômica e exerci o cargo de secretário Municipal de Fazenda e Orçamento – pasta que planeja, controla e executa todos os recursos financeiros do Município – por mais de sete anos. Concentrei dentro da Secretaria uma grande equipe técnica e trabalhamos com eficiência para proteger as contas públicas durante o período da maior crise financeira que o país enfrentou, garantindo o pagamento dos salários de todos os servidores públicos, bem como as despesas com serviços e aquisição de produtos para as áreas da Saúde, Educação, merenda e todos os demais, considerados essenciais para o funcionamento da cidade. Quero levar esse modelo de gestão para que o PSD incorpore num eventual Programa de Governo e implemente como modelo às demais Secretarias. Isso evita que percamos tempo com questões secundárias; gera economia de recursos, uma vez que se planejam as ações e suas execuções técnicas.  Conseguimos oferecer resposta em um tempo mais rápido para a população que espera desde uma vaga em creche até uma consulta ou exame médico.

Nessa linha de atuação, outra questão que conseguiremos resolver é o desperdício do dinheiro público. O PSD de Amparo fará uma campanha eleitoral com coligações sem o objetivo de lotear Secretarias e colocar nelas pessoas que perderam cargos de confiança em outras cidades, muito menos utilizaremos a Prefeitura para acomodar os velhos políticos, tidos como “figurinhas carimbadas” na cidade.

O PSD é novo e quer assumir um protagonismo inédito na cidade.

 

A Tribuna - O senhor se considera o novo na política de Amparo?

Paulo Rossi - Sou amparense, aluno da Escola Estadual Luiz Leite, graduado em Contabilidade pelo UNIFIA com MBA e mestrando em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Isso me possibilitou trabalhar em empresas nacionais, multinacionais e servir à minha cidade como secretário municipal. Dentro de tudo isso, considero minha experiência pública a mais importante, principalmente quando observo o que nunca deve ser feito frente a uma Administração Municipal. Isso me anima a pensar que através do projeto do PSD para a nossa cidade conseguiremos mudar isso.   

Como disse, o partido assume um protagonismo inédito na cidade e isso também será levado para nossas propostas, como a forma de trabalho e como iremos conduzir a campanha no município. Uma coisa eu afirmo, a Prefeitura vai mudar e quem não for tecnicamente preparado para a função não vai ter vez. Precisamos ter respeito com o dinheiro público, ser transparentes, ouvir todos e construir uma cidade melhor, juntos.

 

 

 


  Compartilhar

Ler mais notícias em Política

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura