Por: A Tribuna
04/06/2020
20:30

O agora ex-secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho da Prefeitura de Amparo, Mario Auler, deixou a Prefeitura de Amparo na sexta-feira, 29 de maio, para disputar a eleição deste ano como futuro candidato a prefeito de Amparo pelo PSDB. Por mais de sete anos, ele foi um dos mais influentes secretários da Administração do prefeito Luiz Oscar Vitale Jacob (PSDB). Uma cerimônia de despedida foi realizada em frente à sede da Prefeitura de Amparo para marcar a saída de Auler e contou com servidores e simpatizantes da Administração Jacob. O ex-secretário deve ser agora indicado como candidato do PSDB na convenção partidária, que deve ocorrer até 5 de agosto.

Em entrevista concedida para A Tribuna na quarta-feira, 3 de junho, Mario Auler falou sobre sua passagem pela Prefeitura de Amparo, a Administração do prefeito Jacob, o momento político atual, sobre a campanha eleitoral deste ano e sua proposta para a cidade. Nos 89 meses em que ficou na Administração Jacob, diz ter recebido mais de 23 mil pessoas. “Conheci gente de todo tipo, todos os níveis intelectuais e econômicos”, diz o pré-candidato a prefeito pelo PSDB.

Mario Auler tem 64 anos, é casado há 33 anos com Carla Sarkis e tem três filhos (Gabriela, João Otávio e Matheus). Ele é natural da cidade de Jaú (SP).

Serviço para Amparo

Mario Auler diz ter ligações com a política de Amparo muito antes de assumir uma Secretaria na Administração do prefeito Jacob. Como servidor da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e lotado no gabinete do deputado Barros Munhoz (PSB), lembra ter ajudado muito o então prefeito Paulo Miotta (PT) em vários assuntos. Ele destaca ações para liberação de recursos do Departamento de Apoio às Estâncias (DADE) e também na liberação junto à saúde do Estado do Centro de Nefrologia (Cenam), que funciona junto à Beneficência Portuguesa de Amparo. “Todas as quartas-feiras, estava em Amparo e me identifiquei com a cidade”, disse Auler.

Em 2010, conheceu o então candidato do DEM, Luiz Oscar Vitale Jacob, que, futuramente, se transferiu para o PSDB. Posteriormente, Barros Munhoz determinou que Auler ajudasse Jacob na sua campanha eleitoral, o que efetivamente ocorreu. “Avisei o prefeito Paulo Miotta que estaria participando da campanha do Jacob e na campanha seria seu adversário”, disse Auler, lembrando que, mesmo assim, não deixou de ajudar a cidade.

Vitória e convite

Em 2012, o então candidato Luiz Oscar Vitale Jacob (PSDB) ganhou a eleição e convidou Mario Auler para assumir a Secretaria de Administração. Mario lembra que, quando na Alesp, ajudava 21 cidades, porém nunca esteve à frente da administração de uma cidade. O convite se tornou um desafio, porém ele aceitou. “Estava temeroso. Risco existia de não dar certo”, disse Mario. Porém, lembra que procurou conhecer melhor a cidade e a população. Ele também enalteceu os servidores públicos de carreira, que o ajudaram a conhecer realmente a máquina pública e o funcionamento da Prefeitura.

“Primeiro-ministro”

O fato de estar à frente de muitos assuntos relacionados à Administração fez Mario Auler ser chamado pela oposição de “primeiro-ministro”. Questionado se o fato de ser o principal nome da Administração do prefeito Jacob teria causado ciúme, ele diz que “ciúme sempre vai existir, mas tem que administrar isso”. E completa: “A política é a arte de saber associar. Política é uma ciência dinâmica”, completou. Mas ele lembra que o fato de o prefeito Jacob haver mantido, desde o início, os mesmo secretários e ter realizado apenas algumas trocas quando precisou fez a Administração ter uma linha e funcionar.

Erros e acertos

Questionado sobre os acertos e erros da Administração, Auler disse que as principais conquistas para o município aconteceram nos primeiros anos do primeiro mandato do prefeito Jacob. Ele cita o Ambulatório Médico de Especialidades (AME). “Os primeiros anos foram favoráveis para conquistar algo para a cidade”, disse lembrando que mais coisas não foram obtidas devido à crise financeira iniciada em 2013. Ele também destacou as realizações da Administração na área da Saúde, lembrando que isso melhorou em muito o atendimento à população.

Sobre erros, ele apenas disse: “Todos os governos têm erros”, porém não disse quais seriam os cometidos na Administração do prefeito Jacob.

Candidato a prefeito

Mario disse que, ao chegar a Amparo, nunca pensou em ser candidato a prefeito. Porém, ao conhecer a cidade e a população, decidiu disputar o pleito, o que ele classifica como um novo desafio. Informado de que candidatos oriundos de outras cidades e que não são amparenses jamais venceram eleições em Amparo, sendo a única exceção o ex-prefeito Antonio Andreta, eleito no início da década de 60, Mario disse que a situação hoje é diferente e que são muitas as pessoas que vivem hoje na cidade, elas têm os seus negócios e famílias em Amparo e são de outras localidades. “Essas pessoas vieram de fora e conquistaram seus espaços. Formaram famílias em Amparo”, disse Mario. Ele completa ainda que qualquer tentativa de desqualificá-lo como não sendo de Amparo não terá sucesso. “Ser candidato será algo notável para expor e colher ideias”.

Ajuda do prefeito

Mario diz que o apoio do prefeito Jacob na sua campanha é fundamental. Porém, diz que a máquina administrativa fortalece campanhas. “As conquistas devem ser mostradas”, resumiu. Ele também confirmou que o deputado Barros Munhoz estará dando apoio à sua candidatura. Sobre apoios maiores, ele lembra que, no passado, receber o apoio de um presidente era magnífico e de um governador, extraordinário; porém, agora, diante da atual situação, ele não sabe dizer se isso seria bom.

Campanha eleitoral

Mario terá o apoio de quatro partidos: PSDB, PL, PDT e PP e deve contar com 72 candidatos apoiando a sua campanha. Revelou que sua campanha será modesta. “O momento não permite extravagâncias. Faremos uma campanha participativa com limitações financeiras”, completou. Ele reforça a tese sobre as 23 mil pessoas que ele atendeu na sua passagem pela Prefeitura. “Tenho orgulho disso”, completou, falando sobre os atendimentos.  Para ele, a população vai rejeitar campanhas grandiosas.

Eleição em 2020?

Sobre a eleição deste ano, Mario diz que são muitas as incertezas devido à Covid-19. Ele lembra que está seguindo o calendário já estabelecido e que são muitas as incertezas que vão desde confirmação da data do pleito até uso do fundo partidário.

Próximo prefeito

Para Mario Auler, a Covid-19 vai mudar também a política e a forma de administrar. Para ele, a iniciativa privada terá que vir para o governo e se preocupar mais com o social. Para Auler, a Covid-19 vai exigir maior atenção dos futuros políticos nas questões relacionadas ao desemprego, à assistência social e à saúde. Uma de suas propostas de desenvolvimento econômico da cidade é a qualificação profissional e o fortalecimento do empreendedorismo. “O momento não é da realização de grandes obras”, disse. “O Poder Público não poderá ser apático em relação à população”


  Compartilhar

Ler mais notícias em Política

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura