Por: A Tribuna
21/02/2020
12:02

Na última segunda-feira, 17 de fevereiro, a Comissão Processante, formada pelos vereadores Celso Manzolli (PSDB), presidente, José Osmar Dorigan – Osmar da Farmácia (MDB), relator, e Geraldo Afonso Moreira Gomes – Dr. Geraldo (Cidadania), apresentou o relatório final da comissão, afirmando que houve quebra de decoro parlamentar do vereador Antônio Fernando Pereira – Tustão (PSDB), no caso em que ele foi preso em flagrante, no dia 7 de novembro, acusado de haver agredido sua irmã com um soco no rosto. O relatório foi escrito pelo vereador Osmar da Farmácia e assinado pelos outros dois membros da comissão.

Uma sessão extraordinária, aberta ao público, foi agendada para acontecer na noite da próxima quinta-feira, 27 de fevereiro, às 19h, na Câmara Municipal. Segundo o Regimento Interno da Câmara, para um vereador ter seu mandato cassado, são necessários oito votos favoráveis dos 12 vereadores.

Entenda a denúncia contra Tustão

Na tarde de quinta-feira, 7 de novembro, o vereador Tustão foi preso em flagrante acusado de agredir sua irmã com um soco. Segundo os depoimentos, os dois irmãos estavam brigando e acabaram se agredindo. Após os dois passarem por exames de corpo de delito, a delegada de plantão Nádia Cassia de Andrade ratificou a prisão de Tustão em flagrante, estipulando fiança no valor de R$ 3 mil. O vereador pagou a fiança e foi liberado para responder ao processo em liberdade.


  Compartilhar

Ler mais notícias em Política

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura