Por: A Tribuna
12/10/2019
06:00

A comunidade surda de Amparo teve uma noite de vitória na última segunda-feira, 7 de outubro, quando viu, pela primeira vez, uma sessão ordinária da Câmara Municipal de Amparo sendo interpretada em Libras. Aprovada em 26 de novembro de 2018, a Lei Municipal nº 3.996, de autoria do vereador Gilberto Piassa (PTB), que dispõe sobre a transmissão e interpretação em Libras (Língua Brasileira de Sinais) das sessões e audiências públicas da Câmara Municipal de Amparo, enfim conseguiu ser colocada em funcionamento. Em sua fala, o vereador Piassa se disse feliz pela intérprete na sessão e agradeceu à Associação dos Surdos de Amparo. “Agradeço, pois foram eles que deram a sugestão para criação desse projeto; então, esse mérito é de todos os surdos que me ajudaram na elaboração desse projeto”, disse o vereador autor do projeto.

Empresa contratada

Na edição de 27 de setembro de 2019 do Jornal Oficial de Amparo, foi publicado o contrato firmado entre a Câmara Municipal e a empresa Associação Amigos Metroviários dos Excepcionais (AME), vencedora da licitação, no valor anual de R$ 30 mil, válido de 1º de outubro de 2019 até 30 de setembro de 2020. A empresa então disponibilizou a profissional Celina Gomes Estruc, que é pós-graduada em tradução e interpretação de Libras, com 20 anos de experiência, e também seu marido, Ricardo Estruc, que é tradutor intérprete CODA (filho ouvinte de pais surdos), com mais de 22 anos de experiência no trabalho com Libras.

A sessão de segunda-feira foi tranquila, sem projetos polêmicos, o que facilitou um pouco a adaptação da aplicação da nova ferramenta de inclusão no Legislativo amparense. O presidente da casa, Esequiel Pereira dos Santos – Pastor Esequiel (PSDB), falou durante a sessão sobre esse período de adaptação. “A partir de hoje, nós teremos intérprete em todas as sessões ordinárias, extraordinárias e especiais da Câmara; porém, ainda estamos em uma fase de adaptação e, em breve, teremos um espaço mais adequado para que a intérprete possa realizar seu trabalho”, disse o presidente do Legislativo.

Surdos na plateia

Durante a sessão, os surdos Paulo Aguiar, presidente da Associação, e Lilian Caroline, diretora social, acompanhavam atentamente a interpretação de Celina e também de Ricardo e ficaram felizes pela inclusão e satisfeitos com a qualidade dos profissionais disponibilizados. “Fiquei muito feliz com intérprete ao vivo durante a sessão, isso vai ajudar muito os surdos a poder participar e evoluir na política. Os surdos também são capazes de lutar e de participar, e essa inclusão nunca havia acontecido aqui na cidade de Amparo. Parabéns aos vereadores, e que isso sirva de exemplo para outros órgãos públicos da cidade”, disse Paulo Aguiar, presidente da Associação dos Surdos de Amparo.

Após a sessão encerrada, o Pastor Esequiel declarou que pretendem finalizar o mais rapidamente possível o processo de adaptação para que os surdos tenham acessibilidade total nas sessões. “Confesso que fiquei emocionado ao final da sessão quando o surdo Paulo Aguiar, presidente da Associação, falou sobre a importância de ter o intérprete e do interesse dele em acompanhar as sessões. Foi uma conquista de um espaço que já deveria existir há muito tempo”, finalizou o presidente do Legislativo amparense.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura