Por:
17/07/2019
18:07

Após uma nova reunião realizada na última segunda-feira, 15 de julho, entre a comissão formada por cinco servidores da Guarda Civil Municipal (GCM) de Amparo, o comandante da GCM Hildo Dorigan, e alguns secretários da Prefeitura Municipal de Amparo, incluindo o secretário de Desenvolvimento Social, Cidadania e Segurança Edilson José Camillo, o Dil, sem que o projeto do Plano de Carreira da GCM fosse apresentado, um grupo formado por aproximadamente 40 guardas realizaram uma manifestação contra a administração municipal.

Os guardas se reunirão em frente ao Paço Municipal, subiram a Rua 13 de Maio, e depois voltaram pela Rua Comendador Guimarães até chegar novamente em frente à Prefeitura. A manifestação foi pacifica, onde os guardas mostravam faixas e cartazes pedindo pelo plano de carreira. O Comandante da GCM, Hildo Dorigan afirmou que a manifestação é um direito dos servidores e que o fato não acarretou em prejuízo para os serviços regulares da corporação. “Foram aproximadamente 40 guardas que estavam em horário de folga que realizaram a manifestação. Enviamos uma viatura para acompanhar a manifestação, como fazemos com todo o tipo de manifestação que acontece na cidade” disse Hildo.

O secretário Dil informou que a equipe da administração não conseguir finalizar o projeto a tempo para apresentar aos guardas na reunião programada par o dia 15. “Nossa equipe está sobrecarregada de serviço e o problema do ataque aos nossos servidores complicou ainda mais. Mas me comprometi com os guardas em entregar até o próximo dia 30 de julho a versão final do projeto” disse o secretário de Desenvolvimento Social, Cidadania e Segurança.

O legislativo amparense volta a ter sessões no dia 5 de agosto, “até lá teremos o projeto para protocolar para que os vereadores possam fazer a discussão e aprovação do plano de carreira dos guardas municipais” completou Dil.

Principal demanda

Uma das principais demandas dos guardas municipais é a regulamentação da jornada de trabalho de 12 horas por 36 e também das horas extras, além de diversas outras situações irregulares que obrigam os guardas a entrar com ações trabalhistas para conseguir benefícios que devem ser garantidos por lei. “A ideia do novo plano de carreira da GCM é a regularização do trabalho e da jornada dos guardas para que, dessa forma, a Administração não mais sofra com ações trabalhistas e, em contrapartida, os guardas tenham seu trabalho regularizado”, disse um dos guardas ao final da reunião.

Segundo alguns guardas a questão do Plano de Carreira da GCM já deveria ter sido resolvida há pelo menos três anos, quando venceu o prazo estipulado pela Lei Federal aprovada em 2014. Ainda de acordo com os guardas o Ministério Público vem cobrando a elaboração desse plano, chegando ao ponto de o prefeito estar incorrendo em improbidade administrativa pela omissão em fazê-la.

 


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura