Por: A Tribuna
25/11/2019
00:00

Nesta segunda feira, 25 de novembro, a atração do Projeto Luz & Sombras é o filme “Serpico” com a atuação estrelar de Al Pacino no inicio da sua carreira no Cinema. A exibição acontecerá no Auditório da Rádio Cultura FM, localizado na Praça Pádua Salles – Centro, a partir das 19h30. O elenco do filme conta com: Al Pacino, John Randolph, Jack Kehoe, Biff McGuire, Barbara Eda-Young, Cornelia Sharpe,Tony Roberts e John Medici.

O roteiro é de Waldo Salt e Norman Wexler. O filme foi baseado no livro de Peter Maas. A música é de Mikis Theodorakis, fotografia de Arthur J. Ornitz e produção de Dino di Laurentis. A direção foi de Sidney Lumet

“Serpico” é uma produção da Colúmbia Pictures de 1973. O gênero é drama policial.

Sinopse

Frank Serpico é um policial idealista da cidade de Nova York, que se recusa a receber subornos, ao contrário do resto dos colegas policiais. Por causa disso, ele acaba sempre sendo colocado em situações perigosas por seus parceiros. Quando seus superiores ignoram as acusações de corrupção de Frank, ele decide fazer suas acusações publicamente. Mesmo com a Comissão Knapp investigando o caso, Frank passa a ser alvo de atentados contra a sua vida.

Contando uma história baseada em fatos reais, este filme retrata a carreira de Frank Serpico na polícia da cidade de Nova York. Escrita por Peter Maas, a biografia usada como base para o roteiro deste longa-metragem acompanha os 12 anos em que Frank serviu como policial.

Francesco Vincent Serpico (nascido em 14 de abril de 1936) ainda vive e é um policial americano aposentado do Departamento de Polícia de Nova Iorque (NYPD), nos Estados Unidos. Ficou famoso por ter sido o primeiro policial a ter testemunhado contra a corrupção naquela corporação, em 1971. A popularidade de Serpico veio à tona com o lançamento do filme em 1973.

Diretor relativamente pouco valorizado diante de sua imensa contribuição ao Cinema, Sidney Lumet confere verossimilhança à narrativa através de detalhes como a preocupação de um policial em anotar a placa de um carro atingido acidentalmente durante um tiroteio e o cuidado de Serpico ao preencher os relatórios das prisões que efetuava. Além disso, o cineasta ilustra o sentimento de isolamento do protagonista ao enfocá-lo em planos abertos que deixava o herói pequeno diante do mundo da corrupção.

 Sidney Lumet também incluiu muitos closes e utilizou-se de lentes específicas para mostrar policiais corruptos ameaçando o herói com cenas eletrizantes. Outros aspectos do filme a observar são a riqueza dos demais quesitos técnicos desde os figurinos utilizados por Al Pacino, que ajudaram a compor o personagem com eficiência, até a direção de arte, que reflete a personalidade de Serpico . Nota-se também como o grande número de máquinas de escrever na sala ocupada pelo assistente do prefeito ressalta a burocracia infernal que colaborava para emperrar os esforços do policial na sua tarefa de combater o crime na Corporação.

O desempenho de Al Pacino como Serpico é um dos melhores em sua carreira, ele ainda estava no início de sua carreira e tornou o personagem de Frank Serpico inesquecível.

Com trilha sonora de Mikis Theodorakis,o filme tem uma atmosfera fantástica dos anos 70 e é considerado um grande clássico do Cinema. Foi indicado ao Oscar de melhor filme em 1974 e Al Pacino foi indicado como melhor ator e o roteiro de Waldo Salt e Norman Wexler foi indicado como melhor roteiro adaptado.

“Serpico” também foi indicado ao prêmio BAFTA em 1975: melhor ator (Al Pacino), melhor diretor (Sidney Lumet) e melhor trilha sonora (Mikis Theodorakis). Recebeu o Globo de Ouro como melhor filme do ano em 1974 e Al Pacino foi contemplado com o prêmio como o melhor ator.

 


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura