Por: Marcelo Henrique
09/08/2021
11:08

Faleceu na manhã desta segunda-feira, em Amparo, aos 92 anos, a acadêmica Eulalia Spinelli.

Eulalia Apparecida de Carvalho Spinelli nasceu em Olympia, Estado de São Paulo, em 30 de outubro de 1928. Era filha de João Aredes de Carvalho (membro cofundador da Academia Amparense de Letras) e da senhora Iracema Cruz Aredes de Carvalho (ambos falecidos); veio para Amparo, com a família, no distante ano de 1936, tendo cursado o Grupo Escolar Rangel Pestana e o Ginásio Estadual, atual EE Dr. Coriolano Burgos.

Era viúva do dr. Cyro Spinelli (advogado e serventuário da Justiça), com quem teve dois filhos: Cyro Spinelli Jr. (empresário) e Adriana Spinelli (professora de Balé).

Sua primeira crônica foi publicada no Jornal “O Comércio” em 1968. Escreveu, semanalmente, no extinto “Amparo Jornal” até sua última edição, em 31 de dezembro de 1968. A partir de 1969, passou a colaborar, também semanalmente, em “O Comércio” e “O Município”, com as colunas “Parolice” e “Assuntando”, respectivamente. Escreveu, ainda, no extinto “A Voz do Povo” a coluna “Meu Recado”, bem como na também extinta Revista “Kartaz”, editada em Amparo pelo Sr. Clézio Domingues de Almeida e família.

Um de seus contos, intitulado “Três Épocas, Três Natais”, foi premiado em concurso promovido pelo Jornal “O Comércio”. Diversas crônicas de sua autoria foram transcritas em jornais de Limeira e de Itapira.

Manteve, também, colunas em jornais de Pedreira e de Serra Negra.

Escreveu uma coluna semanal intitulada “Glosando” no Jornal “A Cidade” e, posteriormente, em “A Bombarda”, ambos já extintos. Também, enquanto a saúde lhe permitiu, manteve a coluna “Prisma” no “Leão do Camanducaia”, órgão informativo do Lions Clube de Amparo, entidade da qual foi domadora há mais de 30 anos.

Foi legionária fundadora da Creche Santa Rita de Cássia, em Amparo, tendo integrado a primeira diretoria da entidade, na condição de primeira-secretária, lavrando, inclusive, a ata de fundação de referida creche.

Era uma das “imortais” da Academia Amparense de Letras, tendo sido a titular da Cadeira de nº 20, cujo patrono é o dr. Carlos Affonso Lopes de Burgos.  Na AAL, dona Eulalia integrou antigas diretorias, tendo sido a primeira-tesoureira na gestão do falecido acadêmico Roberto Madureira.

Uma de suas irmãs, a professora Christina Aredes (Maria Christina Aredes Catelli), também é “imortal” da Academia Amparense de Letras.

Dona Eulalia também se dedicou, e com êxito, às Artes Plásticas, tendo promovido uma concorrida exposição no Espaço Cultural da Câmara Municipal de Amparo.

Foi membro da Casa do Poeta de Amparo, tendo integrado, também, a extinta seção amparense da UBT (União Brasileira de Trovadores), atual delegacia da UBT.

O falecimento de Dona Eulalia Spinelli abre, sem dúvida, uma irreparável lacuna na intelectualidade amparense. O corpo será velado a partir das 13h no Velório Municipal; o sepultamento acontecerá às 16h de hoje, 9 de agosto, no Cemitério do Sylvestre.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura