Por: Portal G1
10/12/2019
17:12

Um advogado de 41 anos é suspeito de abordar uma mulher de 23 usando apenas calcinha e com o pênis à mostra para pedir um cigarro, em Limeira (SP). O caso ocorreu na noite desta segunda-feira (9). Ele chegou a ser espancado por moradores e teve seu carro destruído. Segundo relato de policiais militares no boletim de ocorrência, ao ser abordado, o investigado dizia falas desconexas como que "iria salvar o mundo".

O caso ocorreu na Rua Martinho Armbruster, no Condomínio Residencial Dr. Olindo de Lucas, por volta das 21h. A moradora de 23 anos relatou à Polícia Civil que chegava com compras em sua casa quando foi surpreendida pelo advogado, que disse: "eu quero um cigarro".

"Quando eu virei para abrir minha porta, vi esse homem, ele estava com algo na mão e com o cigarro na mão e fazia caras e bocas pra mim, estava despido, só de calcinha, com a genitália de fora da calcinha. Uma coisa demoníaca mesmo. Não sei nem falar para você. Estou com essa cena na minha cabeça. Esse homem veio para cima de mim, eu soltei as compras do mercado e saí gritando", relatou a vítima ao G1.

Ela contou que pessoas que estavam em um bar nas proximidades vieram para cima do homem, que tentou fugir com seu carro, mas o veículo ficou preso em um barranco.

"Aí a população deu uma espancada nele, tentou tomar a chave do carro, destruiu o carro dele. Aí todo mundo se dispersou e chamou a polícia, porque se deixasse mais tempo ele ia ser linchado. Minha filha tem 3 anos e o portão estava aberto. Minha filha viu tudo, mais uma criança de 11 e uma criança de 10 que se encontravam na minha casa. Agora estamos com medo de sair de casa. Ele ameaçava o tempo todo que ele era polícia, que ele ia fazer algo", acrescentou.

Drogas e álcool

O BO aponta que não houve contato físico entre o suspeito e a vítima. Segundo o registro da ocorrência, o investigado afirmou que é advogado, exibindo sua carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e professor de Direito, além de ter feito uso de drogas e álcool.

Ele foi levado ao Pronto-Socorro da Santa Casa de Limeira, onde foi medicado e liberado. No local, ele também aceitou ter sangue colhido para exame. A polícia não conseguiu localizar as pessoas que o agrediram, que deixaram o local antes da equipe chegar. O carro do suspeito foi levado à casa dele por um guincho e foi emitida uma requisição para que ele passe por perícia.

À reportagem do G1, por telefone, o investigado negou os fatos e não quis dar mais detalhes.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura