Por: A Tribuna
18/05/2020
16:05

Sempre no dia 18 de maio a maioria das cidades brasileiras realizam eventos e ações para debater e discutir a questão do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes. Devido a pandemia causada pelo Covid-19 o Conselho Tutelar, em parceria com a Prefeitura Municipal de Amparo, irá utilizar as redes sociais para alertar sobre esse tema.

 A proposta anual da campanha, que nesse ano comemora o 20º ano de mobilização, é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

A violência sexual praticada contra crianças e adolescentes envolve vários fatores de risco e vulnerabilidade quando se considera as relações de gênero, de raça/etnia, de orientação sexual, de classe social, de geração e de condições econômicas. Nessa violação, são estabelecidas relações diversas de poder, nas quais tanto pessoas e/ou redes utilizam crianças e adolescentes para satisfazerem seus desejos e fantasias sexuais e/ou obterem vantagens financeiras e lucros.

 Dia 18 de maio

A data de 18 de maio foi instituída pela Lei Federal 9.970/00, é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro e que já alcançou muitos municípios do nosso país. Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade que teve todos os seus direitos humanos violados. Ela foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

 Denúncia 

Para denúncias anônimas sobre abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, o telefone é o número 100. O telefone recebe ligações de celular e móvel.

“O Segredo da Tartanina”

A atriz e contadora de histórias Thaís Falleiros disponibilizou a historia "O Segredo da Tartanina" em seu canal do Youtube/Foto: Anderson Almeida 

Há dois anos a atriz e contadora de histórias Thaís Falleiros, criadora da personagem Princesa Tata, desenvolve um trabalho no qual leva o assunto do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes de maneira leve, porém preventiva para crianças em escolas e eventos em geral.

Devido a quarentena e isolamento que estamos passando a atriz inovou e gravou um vídeo, que está disponibilizado em seu canal do - www.youtube.com.br/tatabatataoficial - com a apresentação da história “O segredo da Tartanina”, que é baseada no livro de mesmo título, escrito pelas psicólogas Alessandra Rocha Santos Silva, Sheila Soma e Cristina Watari.

“Através da contação de história podemos refletir sobre diversos assuntos, até os mais densos de maneira divertida. E poder falar sobre o abuso sexual infanto-juvenil para o público infantil com o intuito de prevenir e proteger nossas crianças é mais que um trabalho, é uma missão. Sinto-me privilegiada por fazer parte deste projeto e por poder ser porta voz de um assunto tão complicado. Em 2018 e 2019 narrei essa história para mais de 10 mil crianças de escolas municipais de Amparo, Pinhalzinho, Monte Alegre do Sul e eventos em cidades diversas, e esse ano resolvi gravar o vídeo para não deixar esta importante data passar em silêncio”, conta a atriz.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura