Por: A Tribuna
20/10/2019
06:00

O arquipélago das Maldivas é destino certeiro para quem procura por temperaturas altas e belas paisagens; o país é composto de mais de 1.190 ilhas divididas em 26 atóis no Oceano Índico espalhados por uma superfície marítima de 80 mil quilômetros quadrados e situados ao sul da Índia e do Sri Lanka e a leste da África. Mas há uma insolúvel controvérsia quanto ao numero de ilhas. Como a altitude máxima do país não passa de 3 metros acima do nível do mar, qualquer tempestade mais forte provoca a maior bagunça nos dados do instituto de estatística local.

 

 

Em 1987, uma tempestade inundou Malê, a ilha-capital e a ilha-aeroporto ficaram interditadas. Algumas ilhas desabitadas ficaram submergidas e outras apareceram e pelo menos duas ilhas foram divididas em duas partes. Após essa tempestade, cientistas de todo o mundo pesquisaram e confirmaram que o destino das Maldivas é desaparecer do mapa devido a fatores climáticos. Felizmente, isso vai demorar muito a acontecer.

Os maldivos, porém, não se preocupam com isso. Encaram a vida com muita serenidade, embalados ao vai e vem tranquilo das ondas e ao ar puríssimo trazido pela maresia que penetra nos pulmões de todos.

Em algumas ilhas, encontram-se hotéis de luxo que tratam os turistas com muita mordomia e com a especial e agradável hospitalidade do povo local.

Folclore

Há muito que se falar das Ilhas Maldivas. A história, seu folclore, a origem de seu povo, da religião e seus costumes. Mas para entender melhor a magia que encanta turistas de todo o mundo, nada melhor que ficar observando as fotos do local e tentar se imaginar banhando-se naquela água extremamente azul.

Fale a verdade, este não seria um local ideal para passar suas férias? Então, procure seu agente de viagens e reserve pelo menos uma semana para explorar essa maravilha esculpida pela natureza ao longo de milhares de anos.

Este paraíso chamado de Ilhas Maldivas era desconhecido até o começo da década de 1970.  Foi somente em 1972 que as primeiras estâncias turísticas do local foram abertas. Desde então, as várias ilhas do arquipélago são visitadas por milhares de turistas vindos das mais variadas partes do planeta. Hoje, o turismo representa a principal renda do país insular.

O mar

O mar é tudo nas Maldivas. As ilhas, formadas por corais, são de origem vulcânica e constituem as pontas de uma cordilheira submersa que surgiu nas profundezas quando a Índia, que formava um único continente junto com a África e a Austrália, partiu-se em três, entre 30.000 e 2.700 anos antes de Cristo, formando o Oceano Índico.

Dizer que o mar é tudo, nas Maldivas, não tem apenas um significado material. É verdade que os ilhéus (cerca de 300 mil espalhados pelas ilhas sendo 60 mil na pequena capital Malê) tiram do oceano seu sustento, na forma de peixes e frutos do mar, que juntos com as frutas tropicais, variadas e abundantes, formam a base da alimentação local. Até as brancas pedras de coral do fundo do mar são usadas como tijolos na construção de casas, igrejas, escolas e até o molhes, que servem de anteparo contra a fúria periódica das marés.

 

Para os mergulhadores, que constituem a maior parte de milhares de turistas que todos os anos invadem o arquipélago, em nenhuma outra parte do planeta se verá um azul do mar como este. Da perspectiva subaquática, o cenário muda, mas não é menos belo. Na verdade, é preciso mergulhar para saber por que esses mergulhadores de todas as partes do mundo voltam das profundezas "sem fôlego" e com um semblante de êxtase. A quantidade de peixes coloridos, lagostas, arraias, moreias e cardumes de diferentes espécies de peixes são, segundo os mais tarimbados, maiores do que em qualquer outro local do “universo”. Os menos radicais, que se contentam com o mergulho de superfície e que permite mergulhar apenas alguns metros não vão tão longe, porém nenhum deles discorda: é impossível saber se a beleza maior está em cima ou em baixo d'água.

Por lá também se tem a oportunidade de praticar uma variedade de esportes náuticos, como surfe e windsurfe, além de fazer passeios a uma das centenas de ilhas desabitadas e paradisíacas. Nada mais romântico!

Se você gostaria de curtir esse paraíso, então é melhor correr. Com o aquecimento global, todo o arquipélago corre o risco de desaparecer, uma vez que está situado há apenas três metros acima do nível do mar.


  Compartilhar

Assinar o Jornal



Identificação do Assinante


Digite nos campos abaixo o seu e-mail ou CPF de cadatro em nosso site e sua senha de acesso.


Esqueceu o seus dados? Fale com a gente!

Assinatura