Férias com muitas aventuras na Índia

Taj Mahal, localizado na cidade indiana de Agra, é todo incrustado com pedras semipreciosas e sua cúpula é costurada com fios de ouro. Apesar de sua opulência, o Taj Mahal é na verdade um gigantesco mausoléu e não um palácio como muitos pensam / GB Imagem

Palácios, templos, festivais e um trânsito curioso com carros, motos, elefantes e camelos chamaram a atenção dos brasileiros. A Índia é o segundo país mais populoso do mundo, sendo que o número de habitantes supera 1 bilhão. Uma característica interessante do local é o seu problema linguístico. A língua mais falada é o hindu, usada por 37% da população, mas há ainda 16 outras línguas oficiais, além de cerca de 1.630 dialetos em uso.
O que encanta e espanta os turistas na Índia é a loucura caótica do trânsito. Por incrível que pareça os motoristas são calmos e raramente se vê alguém reclamando. Carros, bicicletas, ônibus, caminhões e até elefantes e camelos trafegam pacificamente; as leis de trânsito são praticamente ignoradas. O sentido de uma via se confunde com a outra mão. Nos ônibus de viagem não existem setas. Os sinais de trânsito são privilégios apenas dos grandes centros. Desta forma, a buzina é a melhor amiga do motorista e dificilmente para de tocar durante o trajeto.
As lojas indianas também é um atrativo à parte. Nelas você pode comprar de tudo, mas para conquistar um bom preço é preciso barganhar e negociar bastante.
Na Índia, o turista encontra várias opções de passeio e com certeza é uma viagem inesquecível, afinal é um país completamente diferente do Brasil. Indo para lá não deixe de forma alguma de explorar as margens do “sagrado” Rio Ganges; visite o parque onde Buda fez seu primeiro sermão; voe de balão para apreciar os picos nevados dos Himalaias; o Taj Mahal, uma das novas sete maravilhas do mundo, o Forte de Agra, o forte mais importante da Índia também são atrações imperdíveis.
De outubro a março é a melhor época para ir ao país. O clima é agradável e, nesses meses, não há as chuvas constantes, torrenciais e inconvenientes dos meses de monções.
O desembarque de turistas ocidentais acontece em geral em Nova Dehli ou Mumbai, duas grandes cidades. O ideal é você contratar um pacote de viagem completo, com passagens, receptivo, hotel, tradutor, seguro e tudo o que você tenha direito para um passeio inesquecível.
Para você explorar pelo menos boa parte da Índia, o ideal é você ficar pelo menos 10 dias por lá. A dica é começar seu roteiro, passando pelo menos dois dias conhecendo a face moderna da Índia, em Nova Delhi. Fique pelo menos três dias no Rajastão para deliciar-se com os mercados locais e o colorido das ruas. Sua próxima parada deverá ser em Agra e não perca o nascer do sol no Taj Mahal antes de visitar o deslumbrante Forte Agra. Fique pelo menos um dia em Khajuraho e depois em Varanasi, passe pelo menos dois dias e explore suas vielas estreitas e instigantes templos. Relaxe nas praias de Goa, onde a vigorosa massagem ayurvedica te fará descobrir músculos que você nem desconfiava que existiam.
Se você quer passear com muita aventura e alegria, então circule a bordo da malha ferroviária indiana, herança do período colonial britânico. O único problema é que quando os ingleses deixaram o país muito pouco foi feito para conservar a infraestrutura em bom estado. A passagem é bem barata. Por incrível que pareça, os trens saem na hora e as estações são um divertido exercício cultural e ainda a viagem é uma ótima forma de ver a bela paisagem da Índia.
Mas se você quer um passeio mais chique, então embarque no Deccan Odissey, que desce o litoral do Mar da Arábia entre Mumbai e Goa numa jornada de uma semana. Tem também o Maharaja’s Express que circula por cidades do Rajastão e do centro do país, como Uidapur, Jaipur, Agra e Nova Delhi. Ou ainda o Palace on Wheels que performa um circuito também com destino ao Rajastão, a partir da capital. As acomodações muito bem decoradas, o serviço primoroso, entradas para atrações, guias e as refeições são um fator comum entre todas elas.
Com certeza, um dos cartões-postais mais conhecidos da Índia é o Taj Mahal. Localizado na pequena cidade de Agra, o Taj Mahal foi construído entre 1630 e 1652, com a força de cerca de 22 mil homens, trazidos de várias cidades do Oriente, para trabalhar no suntuoso monumento de mármore branco que o imperador Shah Jahan mandou construir em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava de Mumtaz Mahal (“A joia do palácio”). Ela morreu após dar à luz o 14º filho, tendo o Taj-Mahal sido construído sobre seu túmulo, junto ao Rio Yamuna. Assim, o Taj Mahal é também conhecido como a maior prova de amor do mundo, contendo inscrições retiradas do Alcorão. É todo incrustado com pedras semipreciosas, tais como o Lapis Lazuli entre outras. Sua cúpula é costurada com fios de ouro. O edifício é flanqueado por duas mesquitas e cercado por quatro minaretes. Apesar de sua opulência, o Taj Mahal é na verdade um gigantesco mausoléu e não um palácio como muitos pensam.
A tumba do imperador Mogol Humayun, em Nova Delhi, a capital da Índia, estabeleceu a fundação para as linhas arquitetônicas de mausoléus como o Taj Mahal e também é parada obrigatória para qualquer turista.
Também em Nova Delhi está o Qutb Minar. Com 72 metros de altura, é o minarete de tijolo mais alto do mundo. Construído no Século XIII, foi designado como patrimônio da humanidade pela Unesco em 1993.
Lembre-se, na Índia a vaca é um animal sagrado e não é raro vê-la perambulado pelas ruas das cidades.
O que está esperando. Faça suas malas e tenha uma boa aventura.

Comentários

comentários