Abertura da exposição “O Mundo dos Retalhos” de Vânia Cardoso acontece nesta sexta-feira

Dona de uma rara sensibilidade no olhar para o mundo, Vânia Cardoso é uma artista socorrense de coração que usa como principal matéria-prima para suas criações retalhos de tecido e a vida simples na roça/Foto: Prefeitura de Socorro

(SOCORRO) – Nascida na cidade São Paulo, Vânia Cardoso foi adotada, assim como seus dois irmãos, pelo casal Lazinha Maria do Carmo e Hermínio Bueno Cardoso. A família veio para Socorro quando a artista ainda era criança. Seu pai, recém aposentado na época, escolheu a cidade por conta das minas de boas águas, ar puro e qualidade de vida. Instalaram-se no centro da cidade, onde por muitos anos viveram.

Vânia conta que ali da janela da casa de sua infância, começou a observar e se apaixonar pelas tradições de Socorro: “Eu via a Congada, a banda na praça, a festa de agosto, as procissões… Todas estas tradições hoje moram no meu coração!” diz a artista.

Aos 19 anos casou-se e mudou para um sítio no bairro Barão de Ibitinga, onde trabalhou, com o marido, lavourando e manuseando café. Ali criou seus dois filhos: Mariana e Marco Antônio, e se engajou no modo de vida rural.

Quando perguntada sobre como despertou interesse pelos retalhos, Vânia responde: “Na verdade tudo começou pela mãe, Lazinha. Ela costurava, pegava os retalhos, emendava e fazia tapetes, colchas… Eu ficava olhando aquilo, com vontade de aprender. Mãe ganhava os retalhos, costurava e depois de pronto, doava as peças pra quem estava aberto a receber, não vendia não. Certo dia, com o passar do tempo, eu perdi a mãe. Ai eu pensei comigo: eu quero continuar o que a mãe fazia e seguir adiante. Eu vou continuar. Ai com o tempo fui ganhando os retalhos”.

Vânia ganhou tantos e tantos retalhos, que lá atrás, quando estava desbravando o novo mundo que se oferecia a ela, intimamente questionava a razão de tantos tecidos chegarem até às suas mãos: “Eu sempre ali costurando, fazendo uma coisa ou outra, tentando fazer uma flor ou uma boneca, porque ainda não tinha prática, eu perguntava pra Deus e pra mim mesma o porquê de tudo isso. E com passar dos anos, foram muitos, creio que Deus me deu a resposta: era pra eu contar a minha vida com os retalhos, passar a vida pro quadro, pras pessoas verem. Eu acho que Deus quer que eu passe para as pessoas a vida da gente, a minha vida, o dia a dia simples das pessoas roça”, conta.

No seu trabalho, além de utilizar os retalhos de tecido, a artista também se vale de materiais naturais que encontra pelo sítio, como galhos e folhas secas; tem um olhar muito atento à natureza e lhe traz uma grande satisfação a possibilidade de reciclar materiais para suas composições: “o que eu vejo jogado lixo eu sempre olho, e aí me vem uma ideia na cabeça para eu fazer algo com aquilo. E me dá uma alegria tirar o que estraga da natureza, pra ela não ficar triste.”

Vânia conta que no seu processo de criação, pega cada pedacinho dos retalhos, até os minúsculos e vai costurando, depois bordando e juntando coisas que encontrou pelo caminho até formar o que queira. O tema da sua exposição ‘O mundo dos retalhos’, como não poderia ser diferente, é a vida na roça. A mostra contará com quadros de tecido, bonecas e outras composições inéditas da artista: “Eu vejo tudo aqui do sítio pra eu passar pro meu quadro, que são as coisas de fora: as montanhas, as aves, os caminhos, o capinar, catar lenha; e o que é de dentro de casa: fogão a lenha, bule de café, pilão, oratório…” São estes os sentimentos que a impulsionam a criar uma estética completamente pura e original.

Incentivada por artistas influentes de Socorro – como Luka Brasil, Rosângela Politano, Marinilda Boulay e Rosa Pereira, às quais faz questão de registrar que reserva muita gratidão e amor – Vânia passou a enxergar o potencial artístico do seu trabalho, envolvendo-se então em três projetos da cidade: o Espaço do Artesanato, o projeto CorAção e também a Congada: Cortejo de Cores e Devoção. Devido a originalidade das suas criações, Vânia foi convidada a participar da IV Mostra de Artes Plásticas de Socorro (MAPS), em 2018, onde apresentou as obras em tecido “A mulher à procura de alimento” e “O lenhador”, que ficou em 3º lugar no Prêmio Edmur Godoy, na categoria Pintura Contemporânea.

Vânia conta ainda que um dos grandes responsáveis pela presente exposição “O Mundo dos retalhos – A arte de Vânia Cardoso” é seu amigo José Benedito, que, conhecendo e gostando do trabalho dela, um dia perguntou-lhe se gostaria de fazer uma exposição. À resposta afirmativa, o amigo começou a correr atrás de várias questões para realizar este propósito. A artista, emocionada, disse: “Tem pessoas que Deus põe vida da gente”. Para a concepção e montagem da mostra, Vânia conta também com o apoio das experientes artistas Luka e Rosa.

A abertura oficial da exposição acontecerá no dia 15 de fevereiro às 19h30, com coquetel de comidas típicas da roça, moda de viola com Ângelo Adriano e Júnior, e toda a magia da obra desta artista que, em suas próprias palavras “é um trabalho simples, mas preparado com o coração”. A mostra “O Mundo dos retalhos – A arte de Vânia Cardoso” tem entrada gratuita e permanecerá aberta para visitação até o dia 9 de março, de terça à sábado, das 9h às 17h no Museu Municipal.

Em nome da Secretaria Municipal de Cultura, da Prefeitura Municipal e do Conselho Municipal de Políticas Culturais (COMUPC), o Museu Dr. João Baptista Gomes Ferraz tem a honra de convidar munícipes e turistas para prestigiar esta inédita exposição, certo de que será uma experiência única e marcante a todos que por aqui passarem.

(Fonte e foto: Prefeitura de Socorro)

Comentários

comentários