“O Milagre em Milão” é o filme do Luz & Sombra

“O Milagre em Milão” é uma produção italiana da Titanus Filmes de 1951. Original em preto e branco/Fotos; Divulgação

O projeto Luz & Sombra promove na segunda-feira, 5 de novembro, a exibição do clássico do cinema “O Milagre em Milão”. A exibição acontecerá no auditório da sede administrativa da Unimed Amparo, na Avenida Saudade nº 369, Ribeirão, em Amparo, a partir das 19h. A entrada para acompanhar a exibição é grátis. O filme não é recomendado para menores de 12 anos.
“O Milagre de Milão” tem no seu elenco: Emma Gramatica, Francesco Golisano, Paolo Stoppa, Guglielmo Barnabò, Brunella Bovo, Anna Carena e Alba Arnova.
O roteiro é de Cesare Zavattini, Vittorio De Sica, Suso Cecchi D’Amico, Mario Chiari e Adolfo Franci. A fotografia é de G. R. Aldo, montagem de Eraldo Da Roma, música de Alessandro Cicognini e direção de Vittorio De Sica. O filme é uma produção italiana da Titanus Filmes de 1951. Original em preto e branco.

Sinopse

“Milagre em Milão” é uma fábula inesquecível premiada com a Palma de Ouro de Melhor Filme no Festival de Cinema de Cannes. Uma mulher adota um bebê abandonado em sua horta. Depois de sua morte, o garoto é enviado para o orfanato. Ao completar 18 anos, Totó vai para Milão, onde passa a morar num terreno ocupado por miseráveis, mudando a vida de todos com sua bondade. Após descobrirem petróleo, os moradores são ameaçados pelo proprietário, que manda a polícia desocupar o local. Quando tudo parece perdido, Totó recebe uma ajuda dos céus, começando a fazer muitos milagres.
Este filme junto com “Ladrões de Bicicleta” e “Humberto D” constitui uma magistral trilogia neo-realista do diretor,produtor e ator italiano Vittorio De Sica.
Impressionante é a lucidez da estrutura narrativa e o tom de quase comédia musical que por vezes se instala no filme e nos contagia.Esta é uma daquelas obras que procuram difundir a bondade e a fraternidade social, e consegue-o de uma forma que diríamos ingênua e pura, mas que atinge plenamente a ambição inicial. Quem assistir ao filme sairá revigorado, tonificado pela presença do ator fantástico Francesco Golisano, que interpreta a personagem de Totò, uma daquelas figuras que nunca mais se esquecem e que os puros de espírito não deixarão seguramente de perseguir ao longo da vida. A lição de solidariedade, ao contrário do que possa parecer à primeira vista, ganha consistência e vigor por se expressar em forma de parábola, onde o “milagre” afinal é algo de profundamente humano e possível de alcançar: basta reunir esforços, acreditar na razão que nos assiste, ter espírito de solidariedade e lutar por ela.
O realismo descarnado de “Ladrões de Bicicletas” também dirigido por Vittorio de Sica cede aqui perante o maravilhoso e o poético, conseguindo, no entanto, ambas as obras participarem de um mesmo olhar, de uma mesma sensibilidade, de uma mesma inocência e pureza.
Apoiado por um argumento aprumado de Cesare Zavattini, Suso Cecchi D’Amico, Mario Chiari e Adolfo Franci, bem como por um trabalho inspiradíssimo de Vittorio De Sica na realização, “Milagre em Milão” mescla harmoniosamente o drama, o humor, a fantasia, o romance e a poesia, e aparece como um bálsamo capaz de fazer o espectador sonhar, aliviar qualquer desilusão existencial, possibilitando revigorar a paixão pela Sétima Arte.

Comentários

comentários