Dados mostram que Amparo registrou 18 casos de Dengue em 2018

O grupo de combate à Dengue esteve reunido no último dia 8 de janeiro para definir ações/Foto: Rafael Leopoldi (AT)

Em 2018, de janeiro a 21 de dezembro, a Secretaria Municipal de Saúde e a Vigilância em Saúde registraram um total de 18 casos confirmados de Dengue e apenas um de Chikungunya no município de Amparo.

Segundo o boletim divulgado pela coordenadora da equipe de Vigilância em Saúde, Marina Leitão David, até o dia 21 de dezembro de 2018 o município teve um total de 120 notificações suspeitas da Dengue, sendo 76 com resultado negativo e 18 com resultado positivo. Ainda existem 26 casos suspeitos que seguem em análise.

Os meses de março e abril foram os que tiveram maiores índices de notificações, sendo 21 em cada mês, e o mês de abril teve oito casos confirmados da doença, sendo o mês com o maior número de casos confirmados. Março foi o segundo mês em número de casos confirmados, totalizando cinco.

Já no caso da Chikungunya foram apenas seis notificações suspeitas, sendo quatro com resultado negativo e um positivo, no mês de outubro. Ainda existe um caso em análise. A cidade não registrou nenhum caso de Zika.

“Considero os resultados do ano de 2018 para o controle das arboviroses muito satisfatório. Pensando numa população de 70 mil habitantes, registramos apenas 18 casos de Dengue e 1 de Chikungunya. Isso foi fruto de muito trabalho de todas as Unidades de Saúde da cidade, dos agentes de controle de endemias, Administração Pública que continuou investindo nas ações e também da população que vem se conscientizando cada dia mais” , disse Marina Leitão

Planejamento Participativo

Depois da grande epidemia de Dengue que atingiu a cidade de Amparo em 2014 e 2015, quando 5.355 pessoas contraíram a doença, sendo que três delas foram a óbito, foi criado, pela equipe da Secretaria Municipal da Saúde e da Vigilância Epidemiológica, um grupo que se reúne mensalmente, com participantes da sociedade civil, para um planejamento participativo de ações de combate ao mosquito Aedes aegypt.

Uma série de ações foram definidas pelo grupo e são realizadas pela equipe de agentes comunitárias de Saúde e também por uma empresa terceirizada. Em todos os meses, os resultados dos trabalhos realizados são apresentados na reunião do grupo de Planejamento Participativo.

Ações de 2018

Em 2018, as agentes comunitárias de Saúde visitaram 64.232 residências para notificar e explicar sobre os riscos e como combater o mosquito transmissor dessas doenças. Ações de bloqueios nos casos suspeitos atingiram um total de 8.637 casas, enquanto a ação de nebulização focal aconteceu em 589 residências. O Planalto da Serra recebe uma atenção especial devido ao grande número de caixas de água no bairro e recebeu um total de 1.056 aplicações de larvicidas, o que controlou totalmente a proliferação do mosquito Aedes aegypt no local.

O grupo de planejamento determinou alguns pontos estratégicos e alguns imóveis especiais que deveriam receber atenção máxima das equipes de controle. Segundo o relatório, foram visitados e trabalhados 50 vezes os pontos estratégicos e 116 vezes os imóveis especiais ao longo do ano.

Trabalho para 2019

O grupo que participa do planejamento de ações já definiu a série de ações para 2019, e na reunião realizada na tarde da última terça-feira, 8 de janeiro, todo o planejamento foi apresentado por Marina Leitão David. “Esse grupo de planejamento é outro ponto chave deste bom resultado. Epidemiologicamente falando, nós mantivemos em risco baixo para epidemia neste ano e com o planejamento de 2019 espero mantermos este cenário”, concluiu a coordenadora da Vigilância em Saúde, Marina Leitão David.

Comentários

comentários