Psicóloga explica o que é e como lidar com a Síndrome de Walt Disney

Com certeza você já viu algum filme da Disney em que as princesas buscam príncipes encantados para viver o “felizes para sempre”. Mas e quando a ficção passa a ser realidade e mulheres começam a acreditar que só serão felizes se encontrarem relacionamentos que se assemelham aos filmes e desenhos? Isso pode ser um problema conhecido como Síndrome de Walt Disney.

Segundo a psicóloga Lia Clerot,  por causa da grande expectativa criada nesse tipo de relacionamento, as frustrações podem ser infinitas “Qualquer relacionamento só tem futuro se ambos estiverem bem consigo e de qualquer maneira, aquela ideia de que o outro é que vai me fazer feliz, não existe”, explica. Para a especialista, a pessoa precisa ter em mente que a felicidade em uma relação é só um complemento.

Sintomas

A síndrome de Walt Disney é caracterizada pela esperança de encontrar em um parceiro a felicidade garantida. “A pessoa passa a acreditar que o “felizes para sempre” vem quando se casar e mais uma vez a felicidade não chega, depois adia para a chegada dos filhos e vai delegando sempre para o que acontece no exterior”, afirma a terapeuta.

Lia destaca que, diferente dos contos de fada, as pessoas têm defeitos e o que parece ser incrível, muitas vezes pode se tornar uma grande decepção. A psicóloga ainda afirma que essa dependência acontece principalmente entre os jovens, pois muitas vezes eles não entendem que a felicidade não está propriamente em um relacionamento.

Para reverter a situação, o conselho da terapeuta é: “Estar sozinha é um bom momento para descobrir quem você é, do que você gosta, seu propósito e seus objetivos”. Além disso, ela garante que uma boa reflexão, diminuir as expectativas e se descobrir podem ajudar a superar essa síndrome.

Comentários

comentários