O 20.o aniversário do Ginásio do Estado em lembranças

A inauguração de um estabelecimento de ensino secundário em Amparo em 11 de junho de 1935 foi como se a cidade fosse presenteada. A abertura de escolas secundárias foi marco de desenvolvimento e da busca ao saber. Seria necessária uma mobilização, na cidade, pelas suas camadas sociais.
O ano da instalação da escola era bem adequado, já que a Universidade de São Paulo fora criada no ano anterior e necessitava como que um municiamento de alunos para seus quadros. A cidade entrou como que em mobilização, ocorrendo escritos, reuniões e desfiles. Houve consciência da importância da meta. Coube ao dr. Coriolano Burgos exercer a função de liderança, ser o pioneiro e o mais sensível à novidade. Além dele, foram nomes inesquecíveis na empreitada os drs. Virgílio Araújo, Virgílio Amaral e Francisco Vasco de Toledo. Houve muito proselitismo pelos jornais. Foi como se um movimento de ondas discêntricas e contínuas ocorresse pela instalação do ginásio em Amparo. Mas muitos fatos indicam que foi o nome do dr. Jaupery de Moraes Franco o nome mais luminoso nos dias posteriores à inauguração da instituição. O diretor inicial foi o professor Joaquim do Marco.
A escola iniciou seu funcionamento nas dependências do Yaguaretê, com algumas aulas sendo efetuadas no Grupo Escolar “Rangel Pestana”. Posteriormente, o Ginásio fixou-se na Rua Luiz Leite, na ampla casa que havia sido de José Feliciano de Camargo.
Bom segmento da mocidade da época frequentou a escola nesse local até sua última transferência, já com a denominação de “Dr. Coriolano Burgos”. A escola abrigou bom segmento da elite cultural de Amparo, marcou sua passagem pela cidade e para ela vaticina-se um futuro de glórias e de realizações. O ginásio foi palco de inesquecíveis cerimônias alusivas ao completar 20 anos de sua inauguração em junho de 1955. As festividades iniciaram-se em 8 de junho, uma quarta-feira. As festividades foram abertas pelo dr. Jaupery de Morais Franco e, a seguir, falaram os ex-alunos Adib Feres Sad e Roberto Pastana Câmara. No dia seguinte, houve jogos de quadra realizados na própria escola. Pela noite de 10 de junho de 1955, houve conferências pronunciadas pelo padre Luís de Abreu e pelo professor Lourenço Torres da Silva.
As maiores festividades aconteceram em 11 de junho de 1955, data que marcava o 20º aniversário da escola. Uma missa campal foi realizada, os estudantes desfilaram pelas ruas de Amparo e foi feito plantio de uma árvore (Ipê) defronte ao prédio do ginásio. Pela noite, no salão nobre da instituição, foram pronunciadas conferências por pessoas de alguma forma ligadas à instituição. Foram elas Euclides Pinto da Rocha, Juarez Monteiro, Joaquim de Marco (primeiro diretor) e Afonso Ribeiro Persicano.
O ginásio persiste também na história. Foi e é instituição de grande importância na vida de Amparo. Por ele, passaram gerações de amparenses. Foi, e deve assim continuar, um marco de cultura, conhecimentos, de sonhos e sede de projetos. São desejos da comunidade de Amparo, que, sensibilizada, agradece.

Comentários

comentários